Províncias

Casos da doença do sono baixam no Zaire

O Instituto de Controlo e Combate às Tripanossomíases (doença do sono) na província do Zaire registou três novos casos no ano passado, verificando-se uma diminuição de sete casos em relação a 2013.

Em declarações à Angop, o chefe de secção do Instituto de Controlo e Combate às Tripanossomíases, João Bernardo, disse que durante o ano de 2014 foram examinados 5.384 indivíduos, contra 23.690 em 2013. A diminuição da cobertura para o rastreio da doença deveu-se às fracas campanhas de prospecção activa realizadas no ano passado.
Informou que no quadro da luta anti-vectorial foram colocadas 1.721 armadilhas em cinco dos seis municípios (excepto Nóqui), tendo sido capturadas 199.163 moscas tsé-tsé, o vector transmissor.
A melhor forma de evitar a doença do sono, disse João Bernardo, continua a ser a prevenção, porque está descartada, até ao momento, a possibilidade de existência de uma vacina para prevenir o contágio.
De Janeiro a Dezembro do ano transacto foram realizadas 19 campanhas de pulverização extra-domiciliária, com uso de insecticidas, em diversas localidades da província.
O Instituto de Controlo e Combate às Tripanossomíases na província do Zaire funciona com 40 técnicos.

Lepra aumenta

Pelo menos 12 novos casos de lepra foram registados de Janeiro a Dezembro em 2014 pelas autoridades sanitárias da província do Zaire, representando um aumento de cinco casos em relação ao ano de 2013.  Em declarações à Angop, a supervisora provincial do Programa de Luta Contra a Tuberculose e Lepra, Mansensa Manseka, explicou que os novos casos foram diagnosticados entre os regressados da República Democrática do Congo (RDC).
Segundo a responsável provincial do Programa de Luta Contra a Tuberculose e Lepra, dos casos notificados três foram tratados e curados, oito encontram-se em acompanhamento médico e um paciente abandonou o tratamento.
A supervisora informou que os municípios de Mbanza Congo e Cuimba são os que apresentam maior incidência desta doença na região.
O Programa de Luta Contra a Tuberculose e Lepra na província do Zaifre, referiu, funciona com 21 técnicos.

Tempo

Multimédia