Províncias

Centenas de docentes vão reaver os salários

Pelo menos 950 professores, de um universo de 1.807, desactivados em Abril do Sistema Integrado de Gestão Financeira do Estado (SIGFE), na província da Huíla, por irregularidades nos proces-sos, vão ser reinseridos, dentro de duas semanas, nas folhas salariais a nível da Direcção das Finanças.

Professores são esclarecidos sobre o recadastramento
Fotografia: Domingos Mucuta-Lubango | Edições Novembro

A partir do corrente mês,  os professores nesta condição começam a receber os salários em atraso dos últimos quatro meses, altura em que foram desactivados do Sistema Integrado de Gestão Financeira do Estado (SIG-FE), informou, no Lubango, o chefe do Departamento de Planeamento, Estatística e Recursos Humanos do Gabinete Provincial da Educação, Ciência e Tecnologia, na Huíla, Luís Jacinto.
O responsável falava durante um encontro de esclarecimento com os professores que se encontram em situação de inactivos do sistema e disse que, deste número, 454 são docentes residentes no Lubango. Salientou  que 857 professores conseguiram concluir os processos em falta e já foram inseridos no respectivo sistema, em Junho último.
Luís Jacinto afirmou que a desactivação de professores no SIGFE do Ministério das Finanças deveu-se ao facto de os docentes não terem completado os seus docmentos na sequência do recadastramento da Função Pública, alguns por razões desconhecidas e outros por terem dupla efectividade.
Apelou aos professores que aguardam pela reactivação para apresentarem os documentos em falta, pois caso não consigam fazê-lo serão retirados do sistema financeiro e alguns considerados “fantasmas.”
O Gabinete Provincial da Educação, Ciência e Tecnologia da Huíla tem controlados 18.185 professores, que leccionam em 1.853 escolas, correspondentes a sete mil e 400 salas de aula.

Tempo

Multimédia