Províncias

Chuva causa inundações no município

Jaquelino Figueiredo | Soyo

As fortes chuvas que se abateram sobre a cidade do Soyo destruíram 298 casas e causaram inundações, afectando 1.505 pessoas, revelam dados provisórios do Serviço de Protecção Civil e Bombeiros.

Fotografia: JAIMAGENS

O comandante municipal do Serviço de Protecção Civil e Bombeiros no Soyo, subinspector Paulo Jorge, informou que três das 298 casas ficaram totalmente destruídas, mas as chuvas não causaram vítimas mortais.
Paulo Jorge ressaltou que os dados divulgados se referem apenas a oito bairros da cidade do Soyo: Quicumbo, Quimbumba, Quicudo, Cucala Quiacu, Cungue Ienguele, Praia dos Pobres, Quilumbo e Quintambi.
“Não temos ainda as informações dos danos provocados pela chuva a nível das comunas onde existem milhares de casas feitas de adobe ou em condições precárias”, acrescentou o comandante do Serviço de Protecção Civil e Bombeiros no Soyo.
Na zona de Quintambi, além do registo de um deslizamento de terra, que não causou vítimas, existe uma ravina que ameaça destruir a única via de acesso com o resto do município.
O subinspector Paulo Jorge anunciou que o Serviço de Protecção Civil e Bombeiros no Soyo está empenhado nos trabalhos de sucção da água em todos os bairros afectados, por meio de motobombas de média e grande capacidade, o que pode evitar também eventuais afogamentos de crianças.Os especialistas da Protecção Civil levam a cabo acções de sensibilização às populações, apelando para evitarem construir casas em zonas de risco, designadamente em linhas de água, morros e em áreas pantanosas.
 “Queremos evitar que a nossa população viva os mesmos problemas que os nossos irmãos do Lobito”, salientou Pailo Jorge.  As equipas de socorro no terreno enfrentam algumas dificuldades para terminar o trabalho, uma vez que as chuvas não param de cair.
 “Chove quase todos os dias”, lamentou o comandante do Serviço de Protecção Civil e Bombeiros no Soyo, que garantem prestar todo apoio aos cidãos sinistrados.

Tempo

Multimédia