Províncias

Cidade do Soyo beneficia de mais água potável

Jaquelino Figueiredo | Soyo

As estações de captação e de tratamento de água da cidade do Soyo, na província do Zaire, vão ser ampliadas, para passar a bombear 1.400 metros cúbicos por hora contra os 300 actuais, a fim de acabar em definitivo com os constantes problemas de falta de água potável que a região enfrenta.

Membros do Executivo visitaram a cidade do Soyo que combate um surto de cólera desde os primeiros dias do ano
Fotografia: Garcia Mayatoko | Soyo

A revelação foi feita terça-feira, na cidade do Soyo, pelo secretário de Estado das Águas, Luís Filipe da Silva, à margem da visita da comissão interministerial liderada pelo ministro da Saúde, que se deslocou ao Soyo para avaliar o estado de prontidão dos serviços de saúde face ao surto de cólera que afecta o município desde Dezembro último. 
“A estação de captação e de tratamento de água do Soyo vai ser ampliada, porque já não satisfaz a demanda. Actualmente, tem capacidade na ordem de 300 metros cúbicos/hora e vamos passar a ter 1.400 m3 de água /hora”, explicou.
De acordo com Luís Filipe da Silva, a proposta de projecto para a ampliação das estações de captação e tratamento de água do Soyo está em fase final, uma vez existir despacho presidencial que autoriza o seu lançamento ao concurso público.“Neste momento, está em fase final de avaliação a proposta do projecto para esta empreitada, já há um despacho presidencial que autoriza o lançamento do concurso. A área de especialidade desta matéria de contratação está a finalizar o processo administrativo, para posteriormente passar-se à execução ainda este ano”, garantiu. O referido projecto do crédito “Título de dívida” e que merecerá a prioridade do Ministério das Finanças, pela sua importância, contempla também obras de ampliação e de construção de reservatórios de água.
“A estação de tratamento de água vai ter maior capacidade de reserva, porque vão ser construídos mais reservatórios, que permitirão mais 2.000 novas ligações domiciliárias e a expansão do sistema de abastecimento de água às zonas onde não existe rede de distribuição”, explicou o ministro, acrescentando que “terminado o processo administrativo, acredito que mais algumas semanas o Ministério das Finanças dará, com certeza, maior primazia ao processo e poderemos ter as obras no terreno”.
Salienta-se que a cidade do Soyo está privada de água potável há cerca de 30 dias, na sequência da avaria da electrobomba da estação de captação, junto ao rio Nvuembanga, cuja substituição está em curso, com vista a repor o fornecimento às populações.

Abastecimento nas ilhas

O fornecimento de água potável às diversas ilhas existentes no município do Soyo foi considerado pelo secretário de Estado das Águas, Luís Filipe da Silva, como complexo, devendo-se desinfectar os rios, com urgência.
“Na ilhas a situação é complexa e tem de ser devidamente avaliada. Para já, o que vai ser feito de imediato é o fornecimento de alguns produtos, para que a água possa ser desinfectada localmente, para que o perigo possa ser minimizado”, frisou. De acordo com o governante, existem projectos de monta que visam a instalação de pequenas estações de tratamento de água salobra, através do processo de dessalinização. “Há também projectos de maior envergadura que têm de ser avaliados e que prevêem a instalação de pequenas estações de tratamento de água salobra” disse.
Pela necessidade que se impõe, as estações projectadas para melhorar a qualidade de água exigem a instalação de dessalinização, que devem ser adquiridas no exterior, disse. “Acreditamos que algumas unidades deste tipo possam ser adquiridas em breve. Tudo vai depender do futuro das ilhas, pois, como se sabe, as ilhas são locais que não reúnem condições de habitabilidade”, afirmou.

Tempo

Multimédia