Províncias

Conselho recomenda postos para prevenção de acidentes

Fernando Neto| Mbanza Congo

A criação de destacamentos de socorro e prevenção rodoviária nas principais estradas do Zaire, para evitar a constante ocorrência de acidentes de viação foi uma das principais recomendações do conselho consultivo alargado do Comando Provincial da Polícia Nacional naquela parcela do país.

A criação de destacamentos de socorro e prevenção rodoviária nas principais estradas do Zaire, para evitar a constante ocorrência de acidentes de viação foi uma das principais recomendações do conselho consultivo alargado do Comando Provincial da Polícia Nacional naquela parcela do país.
A recomendação surge na sequência do registo de vários acidentes de viação a nível daquela província, principalmente de vítimas que dão entrada no hospital provincial do Zaire, em Mbanza Congo, que desde Janeiro já notificou 195 pessoas, das quais oito perderam a vida.
Os participantes no conselho foram informados pelas entidades da Saúde que 90 por cento dos acidentes registados no referido período foram provocados por moto táxis, conhecidos por kupapatas.
Para disciplinar os moto taxistas que exercem ilegalmente a actividade em Mbanza Congo, os participantes no conselho decidiram aplicar uma moratória de 15 dias, para que estes transportadores possam organizar a sua documentação.
O director provincial da Viação e Trânsito do Zaire, Lino Hilário, disse que a instituição tem realizado constantemente actividades preventivas, como campanhas de sensibilização, prevenção e segurança rodoviária, além de “operações stop”, com vista a ver mudado o comportamento dos kupapatas e de outros automobilistas.
Os automobilistas e motociclistas insistem em não acatar as recomendações das autoridades, desrespeitando as regras de trânsito.
Membros do Comando Proincial da Polícia Nacional foram ainda informados sobre a entrada ilegal, em território nacional, nos últimos três meses, de vários cidadãos oeste-africanos, o que constitui uma das principais preocupações.
 Perante esta situação, o comandante provincial, comissário Francisco Massota, defendeu a adopção de mecanismos conducentes ao combate eficaz da imigração ilegal, ao longo das fronteiras terrestre, marítima e fluvial.
O aumento da criminalidade nas cidades de Mbanza Congo e Soyo também mereceu uma análise profunda dos participantes no conselho.

Tempo

Multimédia