Províncias

Cooperativas de camponeses beneficiam de apoio no Zaire

Fernando Neto|Mbanza Congo

Mais de 200 camponeses, organizados em 28 associações e 11 cooperativas dos municípios de Mbanza Congo e Tomboco (Zaire), beneficiaram quarta-feira de instrumentos de trabalho, para aumentarem a produção, no âmbito do programa do Executivo de combate à fome e à  pobreza.

Homens do campo estão mais servidos
Fotografia: Jornal de Angola

Mais de 200 camponeses, organizados em 28 associações e 11 cooperativas dos municípios de Mbanza Congo e Tomboco (Zaire), beneficiaram quarta-feira de instrumentos de trabalho, para aumentarem a produção, no âmbito do programa do Executivo de combate à fome e à  pobreza.
Enxadas, catanas, sachos, limas, pulverizadores, moto-bombas, mangueiras de sucção, carros de mão, adubos e sementes diversas constam dos produtos entregues aos agricultores.
O director provincial da Agricultura, Paixão Esteves, revelou que os meios entregues pelo Instituto de Desenvolvimento Agrário estão avaliados em cinco mil dólares.
Paixão Esteves revelou que a nível da província do Zaire, o Banco de Comércio e Indústria (BCI) disponibilizou, até ao momento, créditos avaliados em cerca de 18,5 milhões de kwanzas, revertidos em insumos agrícolas.
Quanto ao atraso dos insumos agrícolas entregues aos camponeses, o director da Agricultura no Zaire argumentou que se deveu às más condições da estrada 210.
Sebastião Fernandes, coordenador da associação denominada “Zola de Mbanza Congo”, que congrega 28 famílias, afirmou que a sua organização tem uma tradição de produção de ginguba e feijão.
“Devemos consciencializar-nos de que só pede crédito agrícola quem já trabalha no sector, possui experiência e confia no seu trabalho”, reforçou o coordenador da referida associação .


Desenvolvimento agrário


As Estações de Desenvolvimento Agrário (EDA) constituem o principal elo de ligação entre os bancos e os agricultores, segundo Paixão Esteves.
“Para além de liderarem os grupos de pilotagem em cada município, cuja missão consiste em ajudar o agricultor na constituição da documentação para o acesso ao crédito agrícola, desenvolvem também o trabalho pedagógico de assistência técnica aos camponeses”, referiu o responsável.
O director da Agricultura no Zaire revelou que a nível da província foram constituídos 15 campos de demonstração, pelo Instituto de Desenvolvimento Agrário (IDA), para facilitar a troca de experiências com os agricultores locais.
“Existem guias de campo, para congregar todos os líderes comunais e adjuntos, no sentido de tomarem contacto com as formas de produção e mecanismos de execução de novas culturas”, disse.
Nos campos de demonstração agrícola do IDA, o responsável explicou que os camponeses aprendem a definir a quantidade de sementes a usar em cada cova, a ter domínio da erosão e fertilidade dos solos, a combater as pragas e conhecer a época apropriada para a plantação de cada cultura.
Entre as novas culturas implementadas pelo instituto, referiu Paixão Esteves, constam o milho, a batata-doce e a mandioqueira precoce de Angola.

Tempo

Multimédia