Províncias

Crianças abandonadas pelos pais recebem carinho

A educadora social, ao serviço do Centro de Acolhimento de Crianças Desamparadas frei Giorgio Zullianeli, em M'banza Congo, reprovou ontem a atitude dos pais que maltratam e abandonam os filhos.

A educadora social, ao serviço do Centro de Acolhimento de Crianças Desamparadas frei Giorgio Zullianeli, em M'banza Congo, reprovou ontem a atitude dos pais que maltratam e abandonam os filhos. Ariete Bravo Boa disse à Angop, que a criança necessita de amor, carinho e acima de tudo um clima de paz no seio familiar para o seu crescimento harmonioso.
“Quando os pais abandonam os filhos há ausência de amor e afecto, o que prejudica o seu desenvolvimento emocional, espiritual e intelectual”, frisou Ariete Bravo Boa. Referindo-se ao seu trabalho, disse que esta é a sua primeira experiência com crianças desamparadas, desde que terminou os seus estudos no Instituto de Ciências Religiosas de Angola (ICRA), em Luanda.
“São crianças que vêm de um trauma e que necessitam muito da nossa colaboração, assim como orientação para que tenham amor aos estudos e amanhã sejam homens úteis à sociedade”, sublinhou.
A educadora social do Centro de Acolhimento de Crianças Desamparadas frei Giorgio Zullianeli pediu uma reflexão permanente da sociedade sobre a problemática da criança, considerando que nos dias que correm há muitos menores que sofrem abusos sexuais, maus tratos e exploração.
O centro de acolhimento tem actualmente 68 menores de ambos os sexos, que foram abandonados pelos familiares acusados de feitiçaria ou escaparam ao tráfico de crianças.
Três educadores sociais prestam serviços no estabelecimento, auxiliados por irmãs católicas e outros profissionais. A iniciativa da criação do centro surgiu em 2001, da parte do Governo Provincial, em parceria com a ordem dos padres capuchinhos local (Igreja Católica). A partir de 2011, O governo do Zaire construiu e apetrechou novas instalações no bairro Nfumu.

Tempo

Multimédia