Províncias

Crianças beneficiam de doações no Soyo

Jaquelino Figueiredo | Soyo

Um donativo, estimado em mais de duas toneladas de bens diversos, foi entregue no domingo, na cidade petrolífera do Soyo, província do Zaire, a crianças órfãs vítimas de minas e aos angolanos expulsos da República Democrática do Congo (RDC) pelo Fundo de Solidariedade Social Lwini.

Um donativo, estimado em mais de duas toneladas de bens diversos, foi entregue no domingo, na cidade petrolífera do Soyo, província do Zaire, a crianças órfãs vítimas de minas e aos angolanos expulsos da República Democrática do Congo (RDC) pelo Fundo de Solidariedade Social Lwini.
O gesto foi feito durante uma excursão denominada “Nzila ya Kiedika”, expressão que significa “Caminhada verdadeira”, realizada nos dias 11 e 12 deste mês àquela região por embaixatrizes e deputadas.
O acto de entrega da doação, composta por roupas usadas, cobertores, cadeiras de rodas e fogões a petróleo, decorreu na Missão Católica do Mpinda.
Kits constituídos por manuais de apoio às parteiras tradicionais fazem igualmente parte do donativo entregue pelo Fundo Lwini, que vai ajudar a prestar melhor assistência às parturientes de diversas localidades da região.
Em representação da Primeira-Dama da República de Angola, a patrona do Fundo Lwini, Artemísia de Lemos, disse que a doação vai minimizar as dificuldades dos beneficiários. “Nós sabemos que é pouco, mas acreditamos que vai ajudar a reduzir o sofrimento de todos aqueles que beneficiarem dessa doação”, acrescentou.
Em gesto de agradecimento, o administrador municipal do Soyo, Manuel António, disse que a doação vai ajudar tanto as parteiras tradicionais, no desempenho das suas funções, como os mutilados de guerra e os compatriotas regressados da RDC, estes últimos que atravessam muitas dificuldades sociais, sobretudo de reintegração.
Manuel António exortou outras organizações a seguirem o exemplo e a apoiar projectos que visem a reabilitação e construção de infra-estruturas de impacto social, como postos médicos, centros de saúde e escolas, nas comunidades.
O pároco da Missão Católica do Mpinda, Alexandre Tchicami, sublinhou que a solidariedade deixa de ser uma palavra vazia, o que dignifica quem recebe e quem dá, porque partilha o sofrimento dos concidadãos.
Graça Manuel Ester, vítima de uma mina na região, ao receber uma cadeira de roda, agradeceu o gesto do Fundo Lwini, uma vez que vai facilitar a sua locomoção.

Tempo

Multimédia