Províncias

Crianças do lar Frei Giorgio voltam ao convívio familiar

Dezasseis crianças que se encontravam   no centro de acolhimento e formação profissional  Frei Giorgio Zulianello, em Mbanza Congo,   foram reinseridas nas suas respectivas famílias biológicas, informou ontem o director provincial do Zaire da Assistência e Reinserção Social.

A partir deste ano a instituição deixa de receber crianças acusadas de práticas de feitiçaria
Fotografia: João Augusto

A cerimónia de reunificação familiar dos menores, com idades entre quatro e 16 anos, foi orientada pelo director provincial do Zaire da Assistência e Reinserção Social, Manuel José António, que disse, na ocasião, que 40 crianças que residiam neste centro voltaram ao convívio familiar, em 2015.
Ao dirigir-se aos familiares das crianças, Manuel José António admitiu que o acto pretendeu materializar o programa de localização e reunificação, tendo lembrado que o melhor lugar para os menores é no seio das suas famílias, onde devem merecer todos os cuidados para o seu crescimento harmonioso. O centro de acolhimento e formação profissional Frei Giorgio Zullianello acolhe também crianças com necessidades especiais de protecção provenientes das províncias do Uíge, Huambo, Bié, Huila e Luanda, bem como da vizinha República Democrática do Congo (RDC), disse Manuel José António, que pediu aos pais e encarregados de educação a apostarem na contínua formação académica dos seus descendentes e proporcionar a eles um ambiente de amor, afecto que há muito lhes foi negado, com vista a ganharem confiança dos seus progenitores.
O director em exercício do centro de acolhimento, Frei Fábio Miglioranza, informou que a partir deste ano a instituição deixa de receber crianças acusadas de práticas de feitiçaria, dado o aproveitamento que certas famílias fazem deste fenómeno para abandonarem os seus filhos.

Tempo

Multimédia