Províncias

Crianças pedem prudência aos automobilistas da região

Fernando Neto | Mbanza Kongo

Cerca de 150 crianças saíram ontem às ruas da cidade de Mbanza Kongo para sensibilizar os automobilistas contra a sinistralidade rodoviária, uma actividade realizada com o apoio da Direcção Provincial de Viação e Trânsito e que visa aconselhar os utentes da via pública sobre a necessidade do uso do cinto de segurança, capacete e o respeito ao limite de velocidade dentro das localidades, para evitar mortes por acidentes na via.

Crianças saíram à rua munidas de cartilhas
Fotografia: F. Neto | Edições Novembro-Mbanza Congo

A responsável do Instituto Nacional da Criança (INAC), Paula Coutinho, disse que a actividade se enquadra na jornada da criança, que se assinala de 1 a 16 de Junho, em alusão às comemorações do Dia da Criança Africana.
“Devemos sensibilizar os automobilistas sobre a necessidade de serem prudentes na condução, a solução para a redução das mortes por acidentes de viação, principalmente que afectam crianças. Por esta razão, gostaríamos que todos os automobilistas acatassem os conselhos das crianças”, frisou.
O director provincial da Viação e Trânsito, superintendente chefe Luís Canganju, disse que o fenómeno da sinistralidade rodoviária na região tem conhecido um abrandamento em termos de ocorrências. Recordou que no mês de Maio a Polícia notificou 17 acidentes de viação, com seis mortos, 33 feridos e danos materiais calculados em mais de um milhão de kwanzas. Luís Canganju apontou o excesso de velocidade, a inobservância das regras elementares do Código de Estrada e as ultrapassagens irregulares como as principais causas de acidentes.
Referiu que o maior número de acidentes se tem registado no troço que liga os municípios do Tomboco e do Nzeto, devido à presença de entroncamentos que exigem cautela por parte dos automobilistas, além de possuir nas bermas uma vegetação alta que dificulta a visibilidade.
“As crianças foram munidas de cartilhas com mensagens úteis aos automobilistas, para a elevação da consciência dos utentes na via pública, visando o acato das normas vigentes no Código de Estrada”, disse.

Tempo

Multimédia