Províncias

Energia do Kwanza chega ao Zaire

João Mavinga | Mbanza Kongo

O mês de Julho será determinante para que a cidade de Mbanza Kongo deixe de utilizar, definitivamente, energia eléctrica de geradores a gasóleo, com a ligação das linhas de transporte de energia das barragens hidroeléctricas do Médio Kwanza e do Ciclo Combinado do Soyo, assegurou o ministro da Energia e Águas.

Ministro da Energia e Águas João Baptista Borges fala dos projectos em curso para o Zaire
Fotografia: João Mavinga | Edições Novembro | Mbanza Kongo

João Baptista Borges, que falava quinta-feira aos jornalistas no palácio do Governo Provincial do Zaire, disse que o Ministério da Energia e Águas desenvolveu um intenso trabalho para quebrar todos os acidentes naturais e os deslizes das zonas montanhosas, o que permitiu instalar as torres de transporte num percurso de 150 quilómetros.
“Mbanza Kongo vai receber energia eléctrica a partir dos municípios do Nzeto e do Soyo no mês de Julho”, prometeu o ministro, sublinhando que as obras estão avançadas  para o sucesso do projecto estruturante em construção no Soyo, com capacidade de 750 megawatts (Ciclo Combinado). No prazo de ano e meio, adiantou João Baptista Borges, todos os municípios da província do Zaire terão energia eléctrica proveniente do Ciclo Combinado do Soyo e também do sistema eléctrico de Capanda, Laúca e Cambambe, no Médio Kwanza.
“Neste momento decorrem empreitadas que visam concluir as obras da subestação de Mbanza Kongo, na zona de Kianganga, e a do Nzeto, que transportará a energia eléctrica à capital provincial do Zaire”, precisou.
O governante falou da importância vital do Ciclo Combinado do Soyo, tendo em conta a natureza do seu funcionamento a gás e por constituir um contributo importante para o aumento da produção de energia eléctrica, não só para abastecer o Zaire, mas também para estender o fornecimento a Luanda e outras regiões do país.
O ministro esclareceu que o rio Zaire tem um caudal significativo, mas em termos de capacidade de produção hidroeléctrica não oferece potencial para gerar energia eléctrica. O maior potencial gerador de energia eléctrica está nos rios que nascem no planalto.
“De qualquer forma, o rio Zaire tem uma importância significativa para fins de irrigação de projectos agrícolas e industriais e, naturalmente, que dentro do plano nacional de água, recentemente aprovado em Conselho de Ministros, há projectos prevendo a utilização de recursos hídricos provenientes do rio Zaire, para o apoio ao sector agrícola”, realçou João Baptista Borges.
Relativamente ao fornecimento de água às populações, o ministro João Baptista Borges anunciou estar em curso uma acção para o aumento da capacidade de captação, tratamento e distribuição de água em toda a província do Zaire. “Está a ser construída uma nova central de captação de água que vai multiplicar por seis vezes a capacidade actual do abastecimento às populações”, disse.

Tempo

Multimédia