Províncias

Ensino superior chegou ao Soyo

Jaquelino Figueiredo| Soyo

As aulas na Escola Superior Politécnica do Soyo, província do Zaire, que faz parte da Universidade 11 de Novembro, começam em Março próximo, segundo confirmou ontem ao nosso jornal o seu coordenador, João Mateus Marciano. 

O coordenador da Escola Superior do Soyo João Mateus Marciano
Fotografia: Jaquelino Figueredo| Soyo

As aulas na Escola Superior Politécnica do Soyo, província do Zaire, que faz parte da Universidade 11 de Novembro, começam em Março próximo, segundo confirmou ontem ao nosso jornal o seu coordenador, João Mateus Marciano. As inscrições para o preenchimento das 180 vagas disponíveis, começaram no passado dia 11 do corrente na cidade do Soyo. A escola abre com os cursos de Matemática, Pedagogia e Engenharia Informática. A Zona de Ensino e Investigação do Soyo vai funcionar numa primeira fase nas instalações provisórias concedidas pela Angola LNG, com seis salas, enquanto se aguarda a conclusão das infra-estruturas do Kintambi, em construção, onde a escola vai ser instalada definitivamente.
O coordenador do projecto de instalação da Escola Superior Politécnica do Soyo, João Mateus Marciano, disse que estão criadas todas as condições para o arranque das aulas, uma vez que 80 por cento do corpo docente foi assegurado.
"Tudo está alinhavado embora o começo seja sempre difícil, mas está tudo garantido para o arranque. Temos disponíveis 60 vagas para cada curso, de acordo com o número de salas existentes. Há igualmente dois laboratórios numa primeira fase e uma biblioteca", acrescentou. A Zona de Ensino e Investigação do Soyo tem predominância de cursos ligados à petroquímica, tendo em conta a actividade petrolífera desenvolvida na região.
O candidato ao curso de Engenharia Informática, Daniel Lopes, considerou a abertura do ensino superior no município do Soyo como uma mais valia para região, uma vez que, há muito se esperava a sua concretização.
"Finalmente, fomos contemplados apesar dos cursos iniciais não corresponderem à pretensão da maioria, mas mais vale um do que nada. Vou fazer Engenharia Informática, a única preocupação tem a ver com o reduzido número de vagas disponíveis para cada curso que é de 60 para um horizonte muito grande de candidatos", acrescentou.
A Universidade 11 de Novembro, com sede em Cabinda, está integrada na Região Académica III, com quatro Zonas de Ensino e Investigação: Cabinda, Buco Zau, Soyo e Mbanza Congo.  

Tempo

Multimédia