Províncias

Escola de Professores quer melhor formação

Jaquelino Figueiredo | Soyo

A Administração Municipal do Soyo vai desencadear  uma estratégia de atracção de docentes qualificados para integrarem a Escola de Formação de Professores da região, com vista a aumentar a qualidade de ensino e aprendizagem naquela parcela da província do Zaire, disse ontem a administradora municipal do Soyo.

Executivo perspectivou a criação de mais escolas de formação de professores atendendo à necessidade de maior qualidade de recursos humanos
Fotografia: Adolfo Dumbo | Soyo

Lúcia Tomás falava durante a cerimónia de abertura das terceiras jornadas pedagógicas da referida escola, que decorrem entre ontem e hoje, sob o lema “A formação contínua de professores, uma ferramenta básica para a melhoria da qualidade de ensino”.
A administradora do Soyo referiu   ser necessário dar  uma atenção especial à capacitação dos professores, no sentido de se assegurar o aumento considerável da qualidade de ensino a todos os níveis do sistema de educação.
Lúcia Tomás referiu que o programa de governo do Executivo perspectivou a criação de mais escolas de formação de professores em todo o país, atendendo à necessidade da maior qualidade de recursos humanos para o desenvolvimento do país.
Dai que, na persecução das  metas traçadas, a administradora municipal apelou para a inclusão de políticas de atracção do corpo docente a todos os níveis do sistema, no sentido de se evidenciar e priorizar pessoas com perfil científico, técnico e pedagógico adequados.
Lúcia Tomás considerou o ensino como um processo dinâmico, razão pela qual os seus componentes, entre os quais os docentes, devem munir-se de qualidades normativas e de princípios adequados, concretamente as capacidades, competências e habilidades à altura que influenciem a sua  actividade quotidiana.
Lúcia Tomás apelou  aos presentes, com destaque para os professores e directores de escolas, a evidenciarem nas suas aulas temas que realçam a cultura angolana em geral, no sentido da mesma ser perpetuada. “Uma das intervenções da educação na transversalidade é a ­cultura que os docentes devem incutir aos discentes, porque a nossa é tão rica e belíssima que é necessário ser bem transmitida à nova geração, uma vez que cabe a ela desempenhar o papel do sujeito principal que justificam a adopção de boas políticas”, referiu a administradora.
O director da Escola de Formação de Professores, Carlos Alberto, considerou que os temas em abordagem na terceira edição das jornadas pedagógicas da instituição vão permitir a todos intervenientes do processo de ensino  contribuírem na melhoria da prática educativa, para que se tenha êxitos no ano lectivo 2017 e seguintes.
Nestas jornadas, os participantes   discutem temas como “Modelos de comunicação educativa”, “As práticas pedagógicas, seu impacto na escola de formação de professores”, \"Novos métodos para o ensino da Língua Portuguesa”, “A motivação psico-pedagógica na profissão professor”.

Tempo

Multimédia