Províncias

Escola Pedagógica precisa de mais salas

 A Escola Superior Pedagógica de Mbanza Congo, unidade orgânica adstrita à Universidade 11 de Novembro, precisa urgentemente de duas salas de “tronco comum”, com capacidade para cem alunos, afirmou o director em exercício ao Jornal de Angola.

Parte frontal da Escola Superior Politécnica de Mbanza Congo que não tem espaço para o ingresso de novos estudantes
Fotografia: Garcia Mayatoko| Mbanza Congo

Zolanoa Avelino disse que a urgência se deve ao elevado número de candidatos aos cursos de Psicologia e Gestão.
O director em exercício declarou que houve 970 candidatos para apenas 290 vagas.
“Os cursos de Psicologia e Gestão são os mais procurados e os de Matemática e Física os menos”, referiu Zolanoa Avelino e salientou serem necessárias salas de “tronco comum” para permitir a junção de maior número de alunos da mesma disciplina, como são os casos de Língua Portuguesa e Gestão.
O curso de Matemática no período regular dispõe de 45 vagas, Física 35 e Psicologia 55. Química tem 40, o mesmo número reservado ao curso de Gestão de Empresas.
No período pós laboral há 45 vagas para Psicologia e 30 para Gestão de Empresas.
“O número de vagas este ano não corresponde ao dos que queríamos admitir, mas mesmo assim ultrapassámos as nossas capacidades”, disse.
Zolana Avelino afirmou que a quantidade dos que no Zaire querem ingressar no ensino superior merece a atenção do Governo Provincial, que estuda formas de resolver a situação.
“O Governo Provincial aventa a possibilidade de ceder para o período pós laboral salas de uma das escolas do ensino geral em construção”,  referiu. Zolana Avelino garantiu que a escola admite mais ­alunos ­depois de concluídas as novas instalações, na área do Nkiende 2, cujo projecto foi já apresentado ao Governo.
O projecto de construção daquelas instalações, declarou, já foi apresentado às entidades que estudam agora formas de financiamento.
“A melhoria da qualidade de ensino passa pela criação de mais bibliotecas e laboratórios”, disse Zolana Avelino, que sublinhou ser chegado “o momento dos empreendedores abrirem universidades para desafogarem o mercado”.
Zolana Avelino também disse que pelo passado histórico de Mbanza Congo se deviam abrir cursos de História e de Antropologia na província. No ano passado 260 estudantes da Escola Superior ­Politécnica de Mbanza Congo beneficiaram de bolsas de estudo do INABE.
No ano passado concluíram a licenciatura os primeiros 63 alunos da Escola Superior Politécnica de Mbanza Congo, formados em Psicologia, Gestão de Empresas, Matemática, Física e Química, segundo o director em exercício a instituição, Zolana Avelino.

Tempo

Multimédia