Províncias

Escolas do Nóqui mais próximas dos alunos

Victor Mayala | Nóqui

O administrador municipal do Nóqui, Simão Massampu, disse sexta-feira que os alunos daquela região da província do Zaire deixaram de fazer longas caminhadas para ter aulas noutras localidades.

A construção e apetrechamento de escolas permitiram que grande parte das crianças residentes no município tivessem acesso ao ensino
Fotografia: Arimateia Baptista |

Simão Massampu salientou que actualmente a municipalidade dispõe de várias escolas e residências para professores, o que permite que os jovens, adolescentes e crianças possam estudar dentro daquela parcela do Zaire.
Simão Massampu disse que a rede escolar é constituída por 36 estabelecimentos de ensino, que perfazem um total de 216 salas.
 O processo de ensino e aprendizagem é assegurado por 347 professores que ministram aulas para 9.148 alunos dos vários níveis, cifra que representa um crescimento em termos de absorção escolar, na ordem de 35 por cento, desde 2009.
O responsável avançou que a construção e apetrechamento de escolas pelo Governo permitiram que grande parte das crianças residentes nas comunas e aldeias do município tivessem acesso ao ensino, acabando em definitivo com a sua ida ao Congo Democrático.
No domínio da Saúde, a sede municipal possui um complexo hospitalar, que inclui uma maternidade, com 45 camas. O complexo hospitalar, que possui um laboratório de análises clínicas, presta serviços de cirurgia, medicina geral, pediatria, ginecologia e obstetrícia.
Esses serviços são assegurados por seis médicos, dos quais cinco cubanos, auxiliados por 42 enfermeiros.Nas comunas de Lufico e Mpala existem postos de saúde, com dez camas cada. O administrador disse que está em carteira um programa de expansão e aproximação dos serviços às comunidades. Este projecto, referiu Simão Massampu, visa pôr fim às deslocações das populações do Nóqui para Matadi, na República Democrática do Congo, no sentido de terem assistência médica e medicamentosa.
O administrador disse que o Governo continua a envidar esforços para a criação de condições para a melhoria da qualidade de vida nas comunidades e é nesta perspectiva que está a ser construído, na comuna de Mpala, um hospital para 50 camas.

Estradas dão vida

Um dos maiores programas de impacto a nível da localidade tem a ver com as obras de colocação de asfalto na estrada que liga Nóqui à sede de Mbanza Congo, num percurso de 175 quilómetros.
O administrador disse que os trabalhos decorrem a bom ritmo. Neste momento, estão já asfaltados cerca de 80 quilómetros do troço.O ritmo das obras, com conclusão prevista para os meses de Fevereiro e Março de 2014, deixou satisfeito o governador Joanes André, que visitou recentemente a infra-estrutura.

Tempo

Multimédia