Províncias

Espaços garantem lazer depois do trabalho

Víctor Mayala | Mbanza Congo

Os espaços para momentos de lazer e convívio em Mbanza Congo, na província do Zaire, aumentaram consideravelmente nos últimos anos, graças a execução de vários projectos sociais no ramo hoteleiro e da restauração pelo governo e empreendedores locais.

Jovens dançam e apresentam também peças teatrais no espaço do aldeamento turístico em ambiente de alegria e de paz
Fotografia: Adolfo Dumbo

Os espaços para momentos de lazer e convívio em Mbanza Congo, na província do Zaire, aumentaram consideravelmente nos últimos anos, graças a execução de vários projectos sociais no ramo hoteleiro e da restauração pelo governo e empreendedores locais.
As iniciativas traduzem a vontade do executivo provincial do Zaire em garantir condições infra-estruturais indispensáveis que possam dignificar a antiga capital de um dos maiores reinos que a África conheceu, o reino do Congo, cujas ruas e ruelas estão a ser asfaltadas.
O complexo hoteleiro municipal de Mbanza Congo, denominado “Miragens”, com 23 quartos, é um exemplo destes locais que, nos últimos tempos, foram criados na região. Situado no coração da cidade, bairro Sagrada Esperança, o hotel comporta uma piscina construída no perímetro adjacente.
No interior do empreendimento há um ginásio e uma discoteca que se juntou a uma outra já existente em Mbanza Congo, denominada “Delírios”. A referida discoteca em nada fica a dever às que existem noutros pontos do país, daí que seja considerada um lugar de referência obrigatória nas noites da urbe.
O cine clube “comandante Bula” é outro recanto de realce, cuja imponência e aspecto arquitectónico constituem uma valência acrescentada à imagem de Mbanza Congo, uma cidade habitada por gente hospitaleira. A infra-estrutura reabilitada e modernizada em 2010 pelo executivo provincial, liderado pelo governador Pedro Sebastião, tem o condão de ser um dos principais postais de Mbanza Congo no que se refere a espaços de entretenimento e lazer.
Possui vários compartimentos, entre os quais pavilhão gimnodesportivo, restaurante, sala para individualidades protocolares, sala de exposição de produtos artísticos, sala de jogos e anfiteatro com capacidade para albergar cerca de 400 pessoas sentadas.
A única contrariedade é que nem todas as áreas são exploradas, como são os casos de salas de jogos e restaurante, para não falar de sala de exposição que nunca acolheu nenhum evento.
São apenas utilizados o anfiteatro e o pavilhão gimnodesportivo. Os espaços têm servido para a realização de eventos de natureza diversa, promovidos tanto pelas instituições públicas como pela juventude que encorajam as autoridades a continuarem a implementar projectos que possam impulsionar o desenvolvimento socioeconómico da região.

Recinto rústico

Nas margens do rio Lunda, cerca de 12 quilómetros a sudoeste da cidade de Mbanza Congo, nasceu um exótico empreendimento turístico designado por MP4-Lunda, propriedade de Eduardo Capitão, um empreendedor nato que está também apostado neste ramo de actividade.
Implantado numa área de aproximadamente cinco hectares, o projecto contempla uma piscina com 15 metros de comprimento e sete de largura, para além de 15 suites e 11 jangos construídos, essencialmente, para os que preferem conviver em ambiente um pouco reservado.
O acesso à piscina custa dois mil kwanzas por casal e mil kwanzas para quem vá desacompanhado. Quem visitar o local nos próximos dias poderá desfrutar de música ao vivo, cujo palco está a ser construído.
A nossa equipa de reportagem constatou que MP4-Lunda é um espaço convidativo para quem goste de passar momentos de descontracção com a família e amigos, pois, não é em vão que aos fins-de-semana o recinto regista um movimento frenético de pessoas de diferentes idades, principalmente funcionários públicos que, depois de uma intensa semana laboral, retemperam ali as suas energias, através da brisa fresca do rio Lunda.
MP4-Lunda é verdadeiramente rústico. Nele está evidenciada a capacidade criativa do homem que fez uma combinação quase que perfeita com a exuberância da paisagem de beleza sem igual oferecida pela mãe natureza.
A par do banho na piscina a que os convivas têm direito, podem igualmente degustar as variedades de bebidas vendidas no local ao som da boa música nacional e internacional, sobretudo da República Democrática do Congo (RDC), bastante apreciada na região. O proprietário estabeleceu um valor de dois mil kwanzas para o acesso ao local, pagos à entrada.
O surgimento de espaços de lazer deixa regozijado os habitantes da antiga cidade São Salvador do Congo que exortaram os empresários locais a continuarem a investir no sector do turismo, para garantir maior número de infra-estruturas para o acolhimento de convívios e entretenimentos.
“Shinso Kiame”, termo em kikongo que traduzido para português significa meu símbolo, é o nome de um antigo e famoso Restaurante-Bar em Mbanza Congo que dá o ar da sua graça na prestação de serviços de qualidade aos utentes.
O restaurante oferece aos seus clientes gastronomia diversificada que vai desde a nacional à internacional. Os preços praticados variam entre 1.500 a 1.600 kwanzas, em função do menu do dia ou das encomendas, segundo explicou ao Jornal de Angola o servidor de mesa, Rogério Mantima Nsambu.
Jovem atencioso como foi elogiado quando fazíamos a nossa reportagem, Rogério Mantima Nsambu avançou que os serviços do estabelecimento, que emprega 19 pessoas, entre homens e mulheres, são frequentemente solicitados por várias instituições públicas e privadas que realizam eventos ou recebem visitas.
“Shinso Kiame” existe desde 2008 e, de lá para cá, surgiram em Mbanza Congo outros restaurantes como a“Amizade” e “Apakita”. Er­guidos em estruturas de bloco e madeira, aos restaurantes está acoplado um parque infantil onde as crianças se divertem e os pais saboreiam os quitutes da terra. Estão disponíveis serviços de pastelaria e geladaria, o que garante emprego a 15 jovens de ambos os sexos. Os citadinos louvam a oferta de novas infra-estruturas no ramo, na medida em que cria oportunidades de escolha e aumenta a qualidade dos serviços prestados.

Centro infantil


No conjunto de equipamentos sociais que vão sendo erguidos em Mbanza Congo, as crianças não foram esquecidas.
O governo provincial construiu também um Centro Infantil Comunitário (CIC), que aguarda por apetrechos para a sua inauguração nos próximos tempos.
Localizado junto ao condomínio Vila Verde, no bairro Sagrada Esperança, o empreendimento foi projectado para colmatar a carência gritante de creches em Mbanza Congo, onde a mãe trabalhadora e estudante tem dificuldades em encontrar guarida para os filhos.
A nossa reportagem soube também que o governo preconiza ainda a construção de um vasto parque infantil.

Tempo

Multimédia