Províncias

Estrada é asfaltada já no próximo ano

Fernando Neto | Mbanza Congo

A estrada que liga a comuna da Serra da Canda à sede municipal do Cuimba vai ser asfaltada no primeiro trimestre de 2014, anunciou naquela localidade a vice-governadora do Zaire para os serviços técnicos e infra-estruturas, Ângela Diogo.

É cada vez mais difícil transitar nesta via que liga as regiões da Serra da Canda e do Cuimba
Fotografia: Adolfo Neto| Mbanza Congo


O percurso, de 45 quilómetros, inclui uma pequena “leba” de sete quilómetros com subidas acentuadas e curvas apertadas.
A serra é coberta por uma vasta vegetação, na qual se destacam imponentes árvores e bambus, que tornam o local encantador.
Os 18 mil habitantes da região, distribuídos por oito regedorias e 162 aldeias, apontam o mau estado da estrada como a grande razão para o atraso do desenvolvimento da região, principalmente em relação ao escoamento dos produtos agrícolas.“Transportamos o bombo de mandioca, ginguba e feijão à cabeça até à sede do Cuimba, para podermos comprar sal, óleo e outros produtos essenciais.
 Aqui não vêm carros, tirando o do administrador comunal, devido às condições em que se encontra a via”, explicaram os habitantes.
Devido a esta situação, houve uma redução da produção, apesar da fertilidade dos solos da região.O administrador comunal da Serra da Canda, Félix Diamona, agradeceu a construção, na região, de algumas infra-estruturas, que têm facilitado o trabalho da administração e melhorado a vida da população, mas disse que, apesar disso, há toda a necessidade de se aumentar o número de escolas e de postos de saúde
A outra preocupação do responsável prende-se com o reduzido número de enfermeiros, ambulância, tractor para dinamizar a agricultura, acesso ao sinal de telemóvel e da Televisão Pública de Angola.  
O vice-governador do Zaire para o sector económico, Alberto Sabino, garantiu que vai ser entregue em breve uma ambulância à comunidade da Serra da Canda, para apoiar a evacuação dos casos graves para os hospitais de referência, assim como um tractor para potenciar a produção agrícola. “Vamos trabalhar com os bancos no sentido de activarem, neste município, o programa de crédito agrícola, para que as associações e cooperativas possam aumentar a produção, tendo em conta as potencialidades dos solos”, disse Alberto Sabino.
Garantiu, ainda, que o Plano do Desenvolvimento da província prevê a revitalização das infra-estruturas e resolução dos problemas sociais básicos dos municípios da província, para que todos os habitantes da região possam ver melhoradas as suas condições de vida.

Tempo

Multimédia