Províncias

Estradas e a fábrica de gás

Kayila Silvina | Mbanza Congo

No Zaire os ganhos da paz resultaram em benefícios que permitiram retirar a província da estagnação. Saltam à vista realizações de impacto social e económico, com particular realce para a reabilitação e construção de estradas e o fornecimento de energia eléctrica e água potável.

As estradas do Zaire estão em reabilitação
Fotografia: Santos Pedro

Na ronda efectuada pelo Jornal de Angola em Mbanza Congo, os habitantes foram unânimes em afirmar que decorridos 12 anos de paz, o Executivo  resolveu muitos problemas e melhorou a qualidade de vida nas comunidades.
O presidente do Conselho das Igrejas Cristãs em Angola no Zaire (CICA), reverendo Álvaro Rodrigues, disse que durante os 12 anos de paz foram construídas e reabilitada, na província, infra-estruturas sociais, com destaque para a construção da estrada  entre Mbanza Congo e Luanda e a fábrica de aproveitamento de Gás Natural Liquefeito, do projecto Angola LNG, no município do Soyo. Outras obras de relevo foram lançadas em todos os municípios da província.
O responsável das autoridades tradicionais do Museu do Reino do Congo, em Mbanza Congo, Afonso Mendes, disse que nos 12 anos da paz, Angola registou um crescimento económico que mudou para melhor a vida das populações.
“Com a paz, o Governo está a construir escolas, hospitais em todas as sedes municipais e comunais, a melhorar o fornecimento de energia eléctrica e água potável às populações”, disse. O reverendo Filipe Komba, representante da Igreja Kimbangista no Zaire, disse que “são visíveis os esforços do Governo na reabilitação das vias de comunicação, para permitir a livre circulação de pessoas e bens em todo território da província”.
Para o professor Paulino João Lopes, do primeiro ciclo do ensino secundário em Mbanza Congo, a paz também permitiu a abertura do ensino superior na região, o que foi um grande ganho para os jovens.
Susana Elsira, repórter da Rádio Nacional de Angola no Zaire (RNA), disse que com os 12 anos da paz, Mbanza Congo ganhou uma creche para as crianças, importante infra-estrutura que veio ajudar as mães trabalhadoras que não tinham um local especializado para deixar as crianças.
Tania Vika, estudante do curso de Gestão de Empresa, na escola Superior Politécnica de Mbanza Congo, disse que,  graças à paz, conseguiu ingressar na faculdade “sem ter que deixar a família e a minha cidade”.

Tempo

Multimédia