Províncias

Estudantes com mais oportunidades de estágio

Jaquelino Figueiredo |Soyo

A Escola Superior Politécnica do Zaire, na cidade do Soyo, realizou a sua primeira jornada aberta sob o lema “Universidade-Empresa”, visando criar aproximação entre a instituição e as empresas locais para futura cooperação no domínio de estágios e absorção de quadros licenciados.

A Escola Superior Politécnica do Zaire e as empresas locais criam estratégias para a inserção dos licenciados no mercado de trabalho
Fotografia: Jaquelino Figueiredo|Soyo

O coordenador da escola superior afecta à Universidade 11 de Novembro, da Terceira Região Académica, disse que a jornada teve como objectivo mostrar o potencial formativo do estabelecimento académico às empresas locais para estas aproveitarem os quadros formados nos ramos de Engenharia Mecânica, Informática e Organização e Manutenção Industrial.
Sita Gomes referiu que o encontro vai permitir começar um ciclo de relacionamentos para futuras parcerias em prol da formação dos estudantes, no sentido de eles servirem com orgulho as empresas da província.
O responsável explicou que, de entre as muitas funções da universidade, recai sobre ela o peso da investigação, o fornecimento da competitividade à economia, a mobilidade social de filhos de famílias operárias, a preparação para os papéis de liderança e a prestação de serviços à região e à comunidade local. Sita Gomes salientou que se pretende alcançar boas parcerias, sendo a realização de boas estratégias a chave para o sucesso da interacção universidade-empresas. O reitor da Universidade 11 de Novembro, Kianvu Ntamu, considerou a primeira jornada aberta como uma boa iniciativa, no sentido de que vai desenvolver as oportunidades existentes entre a realidade, cursos de engenharias oferecidos, e a potencialidade, crescimento do país e da terceira região académica.
O académico disse que entre a universidade e as empresas privadas existe um espaço por explorar para o bem do povo, do desenvolvimento da população e dos estudantes, com vista ao crescimento económico do país.
“Há necessidade de interface entre a universidade e as empresas aqui presentes, é uma orientação do nosso Executivo a promoção da extensão universitária”, salientou o reitor. Referiu que a estrutura dos cursos da Escola Superior Politécnica do Zaire é muito interessante, com base no desenvolvimento de muitos países industrializados, como a Alemanha, dai ter alertado os estudantes acerca da “banalização da licenciatura”, através da acumulação de diplomas, sem que os mesmos sejam aproveitados.
“Não confundam o conhecimento como tal e o somar diplomas, que não representa necessariamente possuir habilidades. Estamos a verificar hoje uma corrida à aquisição de atestados de mestre e doutores numa clara banalização do diploma de licenciatura”, lamentou.
Por isso, o reitor da Universidade 11 de Novembro disse que a licenciatura é um acto muito importante, não devendo os jovens deixar-se impressionar pelos indivíduos que têm muitos diplomas.
Kianvu Ntamu reforçou que a estrutura do curso bacharelato-licenciatura é fundamental, tendo encorajado os alunos a estudar muito e a saber aproveitar as oportunidades para poderem participar no desenvolvimento do país.
Empresas como Halliburton, Prezioso, ConstruSoyo, Petromar, Angola LNG e outras, mostraram-se interessadas em estabelecer parcerias com a Escola Superior Politécnica do Zaire, com vista a absorver os licenciados, segundo o coordenador da referida escola.

Tempo

Multimédia