Províncias

Falta de bibliotecas preocupa professores

A falta de bibliotecas na vila do Nzeto, província do Zaire, está a preocupar o corpo docente e discente da circunscrição piscatória, que dista 230 quilómetros da cidade de Mbanza Kongo, sede provincial, disse ontem o director da escola do II ciclo do ensino secundário.


Makaya Malumbo afirmou que a inexistência desses espaços na região tem criado sérios constrangimentos aos professores na preparação de aulas, impedindo desta forma o enriquecimento do repertório intelectual.
“O professor não deve limitar-se apenas ao livro da disciplina que ministra, mas sim deve aumentar o seu conhecimento intelectual, apoiando-se em outras plataformas para o sucesso do processo de ensino e aprendizagem”, observou. Para o estudante do II ciclo do ensino secundário João Tandu, a falta de bibliotecas e de Cyber na vila tem dificultado a classe estudantil, sobretudo na pesquisa de trabalhos académicos.
“Muitos estudantes são obrigados a deslocar-se para a capital do país para a pesquisa académica, quando lhes são orientados alguns trabalhos por parte dos professores”, disse João Tandu, para quem as entidades competentes devem envidar esforços para a implantação de bibliotecas na vila piscatória do Nzeto.
Para o director pedagógico da escola do primeiro ciclo do Kimpaxi, Manuel Coxe, a inexistência de bibliotecas e cyber na localidade obriga os alunos a estagnarem-se apenas em matérias dadas pelo professor, sem a possibilidade de aprofundarem os seus conhecimentos.

Tempo

Multimédia