Províncias

Famílias desfavorecidas receberam casas no Soyo

Jaquelino Figueiredo | Soyo

Um total de dez famílias desfavorecidas da cidade do Soyo foram contemplados com residências evolutivas do tipo T2, no quadro da estratégia do Executivo de combate à pobreza. 

As casas entregues aos idosos, pela Administração Municipal do Soyo fazem parte de um lote de 60 habitações construídas na localidade do Cavuge, cerca de 25 quilómetros da cidade do Soyo, vítimas das chuvas e não só.
O director da repartição municipal do Ordenamento do Território, Urbanismo Ambiente, Joaquim Dongo Kosi, disse que tal iniciativa enquadra-se na política do Executivo em satisfazer as necessidades habitacionais dos cidadãos desfavorecidos e para os que perderam as suas casas, através de um incêndio ou chuvas.
“O Executivo procura criar condições dignas para os cidadãos, com destaque para os idosos. Vamos continuar com o processo de entrega de casas.
Ao todo, serão construídas 60 habitações e o respectivo sistema de abastecimento de água potável, através de um furo”, garantiu.
Joaquim Dongo Kosi disse que com relação a energia eléctrica é um assunto a ser tratado e não deve constituir problemas, e sublinhou que está em curso um projecto de electrificação e a província beneficiará do sistema norte da Barragem de Cambambe e do Ciclo Combinado do Soyo, a partir de Janeiro de 2017.
Do projecto de electrificação, consta, a partir de Janeiro próximo ano, a colocação de postos de distribuição de energia eléctrica a zona do Cavuge, através do sistema norte. A ideia é conferir aos idosos  e aos demais moradores melhores condições de vida.
O adjunto do soba da aldeia do Cavuge, Alberto André Helena, 54 anos, um dos contemplados com uma casa evolutiva de dois quartos e sala, agradeceu o gesto do das autoridades e mostrou-se satisfeito pelo facto de ter resolvido o problema habitacional que enfrentava há anos.
“Estou feliz, pois há muito que esperava por este momento. Peço ao governo do Zaire a continuar com este projecto para permitir com que outras pessoas possam também beneficiar. Quero que os outros também concretizem o sonho da casa própria”, disse o soba visivelmente emocionado.
José Miguel Bartolomeu, outro idoso contemplado com uma casa, manifestou a sua satisfação e agradeceu o esforço do governo angolano ao retirar-lhes do sofrimento que dura há dezenas de anos.

Tempo

Multimédia