Províncias

Fiéis católicos doam bens aos repatriados

Fernando Neto | Mbanza Congo

Os cidadãos angolanos expulsos no ano passado da República Democrática do Congo (RDC) e reintegrados junto das suas famílias em Mbanza Congo, província do Zaire, estão desde a semana passada a receber bens através dos fiéis da diocese da Igreja Católica na região.

Os cidadãos angolanos expulsos no ano passado da República Democrática do Congo (RDC) e reintegrados junto das suas famílias em Mbanza Congo, província do Zaire, estão desde a semana passada a receber bens através dos fiéis da diocese da Igreja Católica na região.
O secretário da Caritas da diocese de Mbanza Congo, António Lukilavo, disse ao “Jornal de Angola” que a igreja registou 1.507 regressados, 700 dos quais já beneficiaram do donativo do qual constam bens alimentares, roupa usada, calçado e produtos higiénicos. António Lukilavo referiu que, dada a insuficiência dos bens ofertados pelos fiéis, a diocese de Mbanza Congo pediu um reforço à direcção nacional da Caritas no sentido de contemplar os 807 outros cidadãos angolanos que passam dificuldades para sobreviver desde que foram expulsos da RDC.
“A Igreja, tal como toda a sociedade, sentiu o repatriamento forçado dos angolanos da RDC. É com este sentimento que os fiéis desta Igreja começaram a organizar-se para efectuar a doação no intuito de acudir às dificuldades dos nossos concidadãos”, afirmou.
Nzau Yikumbua, de 54 anos, faz parte do grupo de 1.507 angolanos regressados da RDC. Ele lamenta não dispor recursos suficientes para garantir o seu sustento e de sete filhos.
A residir no Bairro 11 de Novembro, arredores de Mbanza Congo, na casa da sogra, Yikumbua conta que tem enfrentado imensas dificuldades para garantir o sustento dos filhos, apesar dos biscates que realiza em lavras e no mercado paralelo local. 

Tempo

Multimédia