Províncias

Governo defende lisura na admissão de quadros

Fernando Neto | Mbanza Kongo

O vice-governador do Zaire para o sector Económico, Político e Social, António Félix Kialunguila, exortou o corpo do júri do concurso público da Educação a redobrar o rigor, transparência e imparcialidade, para que a região ganhe quadros de qualidade.

Vice-governador para o sector Económico, Político e Social
Fotografia: Edições Novembro

O governante falava à margem do acto de apresentação dos resultados do Inquérito Nacional de Adequação Curricular de Angola (INACUA), no qual se discutiram os novos planos de estudo para a educação pré-escolar, ensino primário e secundário.
António Félix Kialunguila salientou a necessidade do concurso público do sector da Educação, que se encontra na fase de inscrição dos candidatos, estar livre de práticas de corrupção e nepotismo, de modo a garantir melhorias na qualidade de ensino e desenvolvimento da sociedade.
O responsável lembrou que a ausência de uma delimitação do perfil de saída dos alunos no ensino de base regular, o desajustamento da carga horária e os conteúdos programáticos, assim como o fraco aproveitamento escolar e o elevado índice de abandono escolar constam dos problemas identificados no diagnóstico efectuado ao sistema de Educação no país. />“Constitui preocupação do Estado angolano formar os jovens para o mercado de trabalho, articulando a di-mensão científica, técnico-profissional e tecnológica. Este mecanismo possibilita o acesso ao mercado de trabalho aos jovens que não tiveram acesso à universidade”, referiu.
O vice-governador do Zaire para o sector Económico, Político e Social sublinhou que a adequação curricular apresenta-se como das medidas para que os alunos tenham bases sólidas sobre o saber científico, aliado à realidade do seu meio, e sejam capazes de subsidiar o desenvolvimento social.
“A aplicação das recomendações do INACUA permitirá melhorar as ferramentas de trabalho do sector da Educação, assim como actualizar e corrigir os planos curriculares, programas das disciplinas, manuais escolares, cadernos de actividades, guias dos professores, cadernetas de avaliação e relatórios descritivos”, concluiu.

Tempo

Multimédia