Províncias

Gravidez precoce no Zaire regista aumento de casos

Kayila Silvina | Mbanza Congo

A província do Zaire registou, durante o primeiro semestre deste ano, 852 gravidezes na adolescência, revelou ontem, em Mbanza Congo, a directora local do Instituto Nacional da Criança (INAC).

Lançada campanha de educação sexual junto das famílias para se inverter o quadro
Fotografia: Eduardo Cunha |

Paulina Coutinho, que falava na segunda-feira à margem do seminário de formação dos membros das redes de protecção da criança, explicou que os 852 casos ocorreram em três dos seis municípios da província: Tomboco, com 301 notificações, Soyo (289) e Mbanza Congo (262).
A situação está a preocupar as autoridades locais que, em colaboração com os diversos parceiros sociais, intensificaram as campanhas de educação sexual junto das famílias, com vista a inverter o actual quadro.
A directora provincial do INAC referiu que o surgimento de muitos casos de gravidez precoce exige um maior envolvimento dos membros das comunidades, no sentido de contrapor o fenómeno. A realização do seminário faz parte das estratégias de combate a esta situação e nele participam mais de 90 pessoas, que se debruçam sobre matérias ligadas à Psicologia Social.
Os representantes das redes de protecção da criança destacados em todos os bairros da sede municipal de Mbanza Congo, como Sagrada Esperança, Martins Kidito, Álvaro Buta, 11 de Novembro e 4 de Fevereiro, além da gravidez precoce e suas consequências, abordam igualmente temas relacionados com a liderança na comunidade, tipos e formas de violências contra a criança e seus direitos e deveres.
O encontro, salientou a responsável do INAC, visa imprimir outra dinâmica de trabalho às redes, em matérias de protecção da criança, e melhorar a sua capacidade de intervenção junto das comunidades.

Tempo

Multimédia