Províncias

Hospital Municipal ampliado em breve

Jaquelino Figueiredo

O director geral da principal unidade hospitalar do Soyo assegurou ao Jornal de Angola que a Angola LNG garantiu reabilitar e ampliar a unidade sanitária, a partir do terceiro  trimestre de 2019.

Centro hospitalar vai beneficiar de obras de reabilitação
Fotografia: DR

De acordo com o médico Pedro António, com a reabilitação e consequente ampliação, o Hospital Municipal do Soyo vai contar com novas áreas de serviço hospitalar e mais camas para atender a procura.
“Há dias que trabalhamos com Angola LNG, que mandou um engenheiro, que fez o levantamento e tem o projecto aprovado. A informação que temos é que no terceiro  trimestre de 2019 a parte velha entrará em obras. Vamos abrir novos serviços, tais como cuidados intensivos, neonatologia e fisioterapia. Estamos a pensar também  em criar serviços de recuperação nutricional, porque o Soyo tem muitos casos de crianças com má nutrição”, explicou.
Os casos de urologia, como frisou, não são tratados de forma específica, por falta de serviços daquela área no hospital do Soyo, sendo os pacientes graves encaminhados para unidades de referência em Luanda.
“Se um dia esta unidade sanitária for elevada à Hospital Geral, teremos esses serviços todos, porque teremos mais meios para podermos contratar especialistas. Neste momento é impossível, porque os recursos são ínfimos. Os casos de urologia são atendidos pelos médicos de clínica geral e os mais graves transferimos para Luanda”, avançou.
Em termos de perfil epidemiológico, como fez saber, a malária lidera a lista, por ser a doença que mais óbitos causa, seguindo-se as doenças diarreicas e respiratórias, diabetes e hipertensão.
O município tem registado a falta de fármacos, em função da exiguidade de recursos financeiros disponíveis. “Não é segredo para ninguém, muitas vezes mandamos o familiar adquirir os medicamentos, mas esse período um dia vai terminar”, concluiu.

Tempo

Multimédia