Províncias

Idosos recebem alimentos no Zaire

Víctor Mayala |Mbanza - Congo

A Associação de Amizade e Solidariedade para com a Terceira Idade (AASTI) entregou, segunda-feira, bens alimentares, roupa usada, cobertores, utensílios de cozinha e banheiras aos idosos expulsos da RDC.

A Associação de Amizade e Solidariedade para com a Terceira Idade (AASTI) entregou, segunda-feira, bens alimentares, roupa usada, cobertores, utensílios de cozinha e banheiras aos idosos expulsos da RDC, acampados no centro de acolhimento Kiowa, a três Km de Mbanza-Congo, província do Zaire.
O gesto da associação, de carácter filantrópico, testemunhado pelo vice-governador do Zaire para Organização e Serviços Técnicos, Rogério Eduardo Zabila, insere-se no âmbito do Dia Nacional do Idoso, comemorado no mesmo dia, em todo o país, sob o lema “Envelhecer com dignidade”.
Na ocasião, a vice-presidente da AASTI, Ermelinda de Almeida, referiu que a iniciativa surge na perspectiva de atenuar as dificuldades dos idosos angolanos que se viram forçados a abandonar as suas casas e haveres na República Democrática do Congo, onde residiam durante muitos anos.
“Nós viemos aqui trazer o nosso calor, a nossa amizade e a nossa solidariedade. Papás, mamãs, visitantes, membros do governo e família angolana aqui representada, nós não temos muito para dar, sabem que é uma associação que vive de doações, mas tudo fizemos para estarmos aqui neste dia”, disse.
 Acrescentou que é dever do Governo e obrigação da sociedade garantir uma vida condigna aos idosos, porque “têm direito à independência, dignidade, participação, assistência e auto-realização”.
Além da entrega do donativo, a Associação de Amizade e Solidariedade para com a Terceira Idade promoveu uma palestra subordinada ao tema “a problemática dos idosos em situação de aflição”, que contou com a participação de membros do governo, escuteiros afectos à Igreja Católica, autoridades tradicionais, entre outros convidados.
A prelectora, psicóloga e professora universitária Maria da Encarnação Pimenta, destacou a necessidade de a sociedade dedicar carinho especial aos idosos, tendo em conta o facto de serem “grandes fontes do saber”, aos quais os mais novos devem recorrer para a sua vida diária.
Durante o encontro, que decorreu no anfiteatro do núcleo provincial da Assembleia Nacional no Zaire, Maria Pimenta lembrou que as conferências que são realizadas a nível do mundo em prol da preservação da natureza, não têm tido em conta um aspecto importante que é o da valorização do ser humano, como gestor de tudo o que nele existente.
“Todos os seres humanos necessitam de ser apoiados e protegidos. Toda a gente sabe que enquanto nós somos vivos, temos a missão de amar, que é o primeiro ou segundo mandamento da Lei de Deus, segundo o qual amar a Deus sobre todas coisas e amar ao próximo como a ti mesmo”, sublinhou.

Tempo

Multimédia