Províncias

Instituto Médio Agrário é construído no Tomboco

João Mavinga e Víctor Mayala | Tomboco

O Instituto Médio Agrário a construir no Tomboco destinado a 220 alunos em dois turnos, que vai servir de base ao relançamento da agricultura, é um dos vários projectos previstos para o Zaire, disse o governador provincial.

Autoridades provinciais do Zaire continuam a apoiar os camponeses para aumentarem a produção agrícola e combater a pobreza
Fotografia: Adolfo Dumbo

O Instituto Médio Agrário a construir no Tomboco destinado a 220 alunos em dois turnos, que vai servir de base ao relançamento da agricultura, é um dos vários projectos previstos para o Zaire, disse o governador provincial.
Joanes André, que fez o anúncio na localidade da Casa da Telha, Tomboco, na abertura oficial da campanha agrícola 2012/2013, revelou também estarem preparados no mumicípio 2.065 hectares para cultivo. Quanto ao estabelecimento de ensino, a construir numa área de 3.800 metros quadrados, afirmou que decorrem contactos para a adjudicação do projecto e que a intenção é que as obras comecem entre Dezembro e Janeiro.
O autor do projecto, Idulo Batalha, referiu ao Jornal de Angola que as obras devem prolongar-se por um ano e meio. O instituto, com dois ou três pisos, declarou, vai ter 16 salas, oito laboratórios, oficinas tecnológicas, refeitório, área administrativa, biblioteca, espaço de informática e um campo de jogos.
O projecto, disse, prevê a construção de casas para professores e de dois dormitórios, cada um com 16 quartos, para alunos dos dois sexos em regime de internato provenientes de outros municípios da região.

Campanha agrícola


O governador da província do Zaire, que visitou as terras preparadas para a plantação de mandioca, feijão, jinguba, milho, gergelim e hortaliças, entregou aos camponeses, organizados em Cooperativas e Associações agrícolas, seis tractores com as alfaias, catanas, enxadas, limas e sementes.
Joanes André lembrou terem sido já distribuídos instrumentos de trabalho e sementes nos seis municípios “para facilitar a actividade dos camponeses” e que a agricultura é dos sectores em que o Executivo mais se empenha não somente pelos reflexos que tem na vida dos angolanos, como pelo número de postos de trabalho que cria.     
A responsável da União dos Agricultores e Camponeses de Angola do Zaire, Alice Calassi, incentivou os sócios da agremiação a dedicarem-se ao trabalho do campo para rentabilizarem os utensílios e as sementes que lhes foram entregues.
A ideia, referiu, é aumentar os níveis de produção e com isso combater a pobreza.
O representante das autoridades tradicionais do Tomboco agradeceu a colaboração do governo provincial e reiterou o empenho no desbravamento de terras para a presente campanha agrícola proporcionar alimentos em quantidades suficientes, que ajudem a combater a pobreza e inclusivamente algumas doenças.
José Pedro pediu ao governador que disponibilize uma viatura para parte da produção agrícola poder ser transportada para a cidade.
O director provincial em exercício da Agricultura no Zaire, João Domingos, revelou que a campanha agrícola envolve 5.800 agricultores agrupados em 72 famílias, que receberam 30 toneladas de sementes diversas.

Estiagem

O governo provincial distribuiu no Tomboco, o município do Zaire mais atingido pela estiagem, mais de cem toneladas de alimentos, entre os quais chouriço, salsichas, atum, sardinhas, fuba de milho, arroz e feijão e sal, além de um camião cisterna de 20 mil litros.
O director em exercício do Ministério de Assistência e Reinserção Social na província lembrou que o Ministério da Agricultura enviou centenas de toneladas de produtos de primeira necessidade, que estão a ser distribuídas às vítimas da seca em todos os municípios. Nesta visita ao Tamboco, o governador verificou o andamento das obras de construção das 200 casas do tipo T3 na sede do município e de 30 evolutivas na aldeia de Lumbi destinadas a idosos.
Joanes André também visitou a nova escola do segundo ciclo, com oito salas, orçada em 60 milhões de kwanzas, a estação de captação de água e o hospital municipal, onde aventou a hipótese da sua ampliação.

Tempo

Multimédia