Províncias

Instituto Politécnico em construção

Jaquelino Figueiredo | Soyo

Um Instituto Superior Politécnico, com capacidade para albergar 5.130 estudantes por turno, é construído na cidade do Soyo. A primeira pedra para o arranque das obras foi colocada sábado pelo ministro do Ensino Superior, Adão do Nascimento.

Maquete do Instituto Superior Politécnico do município do Soyo com capacidade para centenas de estudantes em quatro faculdades
Fotografia: Jaquelino Figueiredo | Soyo

O acto de início das obras do Instituto, com 144 salas de aulas, distribuídas em quatro blocos de três pisos cada, foi testemunhado pelo governador do Zaire, Joanes André, e pelos ministros da Administração do Território, Bornito de Sousa, e da Educação, Pinda Simão.
A construção dura 14 meses e é suportada pelo Programa de Investimentos Públicos (PIP), num terreno de 250 mil metros quadrados e área construída de 64 mil metros quadrados, no bairro Quitona, a cerca de 12 quilómetros do Soyo.
O empreendimento conta igualmente com três blocos de quatro pisos cada para dormitórios, sendo um para professores e dois para estudantes, masculinos e femininos.
As futuras instalações contemplam ainda um bloco de sete pisos, para um auditório com capacidade para 681 pessoas, uma biblioteca com respectivo centro de pesquisa e outro bloco para os serviços administrativos e reitoria.
Um complexo desportivo coberto para albergar 700 espectadores para a prática das modalidades de andebol, voleibol, futebol e basquetebol, um campo polidesportivo descoberto com um parque de estacionamento para 500 viaturas, zonas verdes e vias de acesso são outras valências do referido projecto.
As quatro faculdades (Economia, Engenharia Química e Petróleo, Administração e Direito e Engenharia Civil) vão dispor de um conjunto de quatro blocos de três pisos cada, com todos os serviços, com destaque para salas de informática, de professores, administrativas, técnicas, polivalentes, além de oficinas, cafetaria, cozinha e um pátio de 1.350 metros quadrados cada.

Instituto dos Petróleos />
Quanto aos dormitórios, o empreendimento vai dispor ainda de três blocos de edifícios de quatro pisos cada, sendo um para professores com 48 apartamentos de dois quartos, sala, cozinha e banheiro. Outros dois são para os estudantes, com 240 apartamentos para 480 pessoas, assim como dois estúdios. O ministro da Educação, Pinda Simão, disse ser preciso investir cada vez mais na formação do homem angolano para o desenvolvimento do país, uma aposta que passou de projecto para actos concretos e que estão a dar resultados positivos.
A nível da província do Zaire, em particular no Soyo, disse estarem em construção escolas de ensino secundário do segundo ciclo, o que vai permitir que muitos alunos terminem a escola primária, secundária do primeiro ciclo e continuem a formação na região.
O ministro referiu que o ensino técnico é também considerado importante para o desenvolvimento da província e do país, em geral, e assim, o Governo Provincial do Zaire vai erguer uma escola para ser adaptada à formação no domínio dos petróleos.
O governador do Zaire, Joanes André, disse que se trabalha actualmente em todos os aspectos administrativos, para que as obras de construção do novo Instituto Médio de Petróleos sejam efectivas até final do ano ou no primeiro trimestre de 2015.
“Foram contratados três empreiteiros diferentes e de grande gabarito, com vista a acelerarem as obras do Instituto Médio de Petróleos, tendo em conta a dimensão do projecto, cujos estaleiros estão já montados”, garantiu o governador da província do Zaire.

Tempo

Multimédia