Províncias

Instituto tem disponíveis centenas de vagas

Kayila Silvina | Mbanza Congo

O Instituto Nacional de Formação Profissional (INAFOP), na província do Zaire, tem disponíveis, para este ano, 1.056 vagas para os diversos cursos profissionais, anunciou o director provincial da Administração Pública, Trabalho e Segurança Social, Tomás Paulo.

Jovens da província aguardam ansiosamente por uma vaga nos cursos profissionais
Fotografia: Maria João

Os cursos de electricidade industrial de baixa tensão, canalização, mecânica auto e alvenaria são os que têm mais vagas. A instituição vai igualmente leccionar as especialidades de carpintaria, serralharia, informática, frio e refrigeração.
Com duração de três a nove meses, a instituição vai ainda ministrar os cursos de agricultura, soldadura, hidráulica, corte e costura, manutenção e prevenção de equipamentos.
Tomás Paulo disse que no futuro vão ser abertos centros móveis nos municípios para permitir uma maior abrangência de interessados.
Das 1.056 vagas disponíveis, a prioridade recai para os jovens dos municípios de Mbanza Congo, com 320 vagas, Soyo, com igual número de vagas, Cuimba 228 e Nzeto, com 188, e disse que a formação do pessoal em diferentes ramos de actividade vai permitir a integração, a curto prazo, dos jovens no mercado de trabalho.
No ano passado, o Centro de Formação de Artes e Ofícios do Zaire, órgão adstrito ao Instituto Nacional de Formação Profissional (INAFOP), formou 841 jovens. Os cursos foram ministrados nos municípios do Soyo, Nzeto, Cuimba e Mbanza Congo.
A Direcção Provincial da Administração Pública, Trabalho e Segurança Social no Zaire prevê este ano a construção de um edifício na sede de Mbanza Congo, de modo a permitir maior expansão dos centros móveis nos municípios de Tomboco e Nóqui.
Tomás Paulo agradeceu o apoio da Igreja Evangélica Baptista em Angola (IEBA), em Mbanza Congo, que disponibilizou o espaço onde foram instalados os centros móveis em funcionamento.
Os Centros de Formação Profissional de Artes e Ofícios foram implementados na província no âmbito do programa do Executivo de combate ao desemprego. Desde 2006, foram formados 5.603 jovens em diversos ramos de actividade.
Os jovens que concluíram os cursos têm recebido da Direcção Provincial da Assistência e Reinserção Social instrumentos de trabalho, que permitem a abertura de pequenas empresas de prestação de serviços.

Tempo

Multimédia