Províncias

Jovem apedrejado até à morte no Nzeto

João Mavinga | Mbanza Kongo

Um jovem de 22 anos de idade foi apedrejado até à morte por um grupo de 12 delinquentes, na localidade de Kimavodi, comuna de Quindeje, a 125 quilómetros do município do Nzeto, província do Zaire, soube ontem o Jornal de Angola de fonte da Polícia Nacional.

Os 12 marginais que mataram à pedrada estão detidos
Fotografia: Garcia Mayatoko | Edições Novembro | Mbanza Kongo

De acordo com o porta-voz da Polícia Nacional no Zaire, a morte daquele jovem aconteceu na sequência de uma agressão física, com golpes violentos de paus e pedras arremessados sobre a cabeça da vítima, na via pública, no período da noite, que lhe provocaram morte imediata.

Luís Bernardo deu a conhecer que os 12 indivíduos envolvidos no assassinato daquele jovem estão já detidos, numa unidade da Polícia Nacional da região, acusados de homicídio voluntário qualificado, aguardando julgamento.
Ainda no município do Nzeto, a Polícia Nacional tem o registo da morte, por assassinato, do regedor, identificado por Nsonizau Victor, também residente na povoação de Quimavodi, fronteira com a vizinha província do Uíge, desconhecendo-se até ao momento as causas do infortúnio.
Outro acontecimento de realce no Nzeto, a 230 quilómetros da cidade de Mbanza Kongo, foi marcado pela prisão de um indivíduo de 20 anos de idade, alegadamente por ter violado sexualmente uma adolescente de 14 anos, no bairro Mbaka, por sinal irmã da esposa.
Segundo a Polícia Nacional, as sucessivas violações que ocorreram no interior da residência em que vivem, resultaram em gravidez da adolescente, que aguarda por um filho indesejado, sendo o acusado reincidente em crimes de violação a menores.
Num informe sobre a situação operativa realizada pela Polícia Nacional na província do Zaire, a fonte do Jornal de Angola deu a conhecer um outro caso de homicídio qualificado, ocorrido na quinta-feira última, no mercado fronteiriço do Luvo, onde um comerciante agrediu até à morte um delinquente, por tentativa de roubo dos seus haveres na barraca.

 

Tempo

Multimédia