Províncias

Jovem desaparece no rio ao fugir da Polícia

Uma cidadã nacional, acusada de auxílio à imigração ilegal, desapareceu no município do Nzeto, província do Zaire, depois de atirar-se ao rio Loge, quando tentava fugir da Polícia Nacional.

Fotografia: DR


O facto foi divulgado à Angop, em Mbanza Kongo, pelo porta-voz do Comando Provincial da Polícia Nacional do Zaire, inspector-chefe Luís Bernardo, tendo contado que a cidadã a ser interpelada por agentes num posto de controlo encetou fuga e atirou-se às águas do rio Loge, por ser provável guia de imigrantes ilegais.
Informou que a cidadã, proveniente do município do Soyo, jogou-se ao rio depois de a Polícia se aperceber da presença de um passageiro escondido no porta-bagagem da viatura em que seguiam para Luanda.
O inspector-chefe presumiu que a cidadã teve essa atitude por medo de ser presa, por incorrer na prática de um crime de tentativa de auxílio à imigração ilegal.
“Ao mandar parar uma viatura ligeira, o efectivo da Polícia Nacional encontrou no porta-bagagem do carro um cidadão da República Democrática do Congo (RDC) forrado num saco de 50 quilos. Na sequência, a senhora correu em direcção à ponte e mergulhou para o rio Loge”, narrou.
Segundo o oficial, a Polícia Nacional em parceria com outros órgãos do Ministério do Interior destacados naquele posto de controlo desenvolveram uma operação de busca e salvamento, mas sem sucesso. A fonte descartou a possibilidade de a vítima ser resgatada do rio com vida atendendo o volume e a correnteza das suas águas, bem como o número elevado de jacarés que circulam por aquele espaço.
Fez saber que o motorista do automóvel, um jovem de 27 anos de idade, está já a contas com a Justiça, ao passo que o suposto imigrante ilegal foi entregue ao Serviço de Migração e Estrangeiros (SME) para o devido tratamento.
Os imigrantes ilegais, principalmente os oriundos da RDC, utilizam vários métodos para, a todo custo, atingirem a capital angolana, Luanda.

Tempo

Multimédia