Províncias

Mais escolas na província

Kayila Silvina | Mbanza Congo

O governador provincial do Zaire garantiu que é propósito do Executivo acabar com a problemática das crianças fora do sistema normal de ensino e a­prendizagem até 2016, por via da construção de escolas em todos os municípios da província.

José Joanes André, que falava na abertura do Conselho Provincial da Criança, realizada em Mbanza Congo, reafirmou a vontade do Governo Provincial em continuar a trabalhar na criação de condições que garantam protecção e desenvolvimento integral da criança
Neste momento, referiu, a rede escolar da província conta com 236 estabelecimentos de ensino, o que corresponde a 1.252 salas. Além disso, existem no Zaire quatro unidades de formação profissional nos municípios do Soyo e dois pavilhões de artes e ofícios no Nzeto e Cuimba.
O governador do Zaire afirmou que no presente exercício económico estão projectados centros infantis, que devem ser construídos nos municípios do Soyo, Nzeto e Tomboco. O centro do município do Cuimba já está construído e é inaugurado em breve. O cumprimento dos 11 Compromissos da Criança no município do Zaire registou avanços significativos, entre 2013 e 2014, de acordo com as conclusões saídas do Conselho Provincial da Criança.
Os avanços registados incidiram sobre questões relacionadas com vários serviços voltados para a melhoria da qualidade de vida das crianças e que resultaram do esforço desenvolvido pelo Governo Provincial na materialização de infra-estruturas nos domínios da educação, saúde, habitação, centros infantis, energia eléctrica e água potável.
No domínio da Justiça, foram realizados 16.079 registos de nascimentos a crianças até aos 13 anos. O relatório de monitoria e avaliação dos 11 Compromissos da Criança, apresentado no Conselho Provincial, indica que, apesar dos avanços registados, ocorrem ainda vários crimes contra menores.
O documento esclarece que o Instituto Nacional da Criança registou 281 casos entre os quais se destacam os de abuso sexual, fuga à paternidade, gravidez precoce, trabalho infantil, violência física e psicológica. Os participantes analisaram vários temas ligados à protecção dos direitos da criança.

Tempo

Multimédia