Províncias

Pedro Sebastião visita o Nóqui

Víctor Mayala | Nóqui

O governador provincial do Zaire, Pedro Sebastião, que visitou o Nóqui durante dois dias, manifestou a sua satisfação pelo volume de projectos de impacto social e económico que estão a ser desenvolvidos no município. É que as três comunas que compõem o município – Lufico, Mpala e sede – têm novas escolas, centros de saúde e residências para quadros. No Lufico, a administração dispõe agora de novas instalações, que serão apetrechadas em breve.  

Momento em que o governador Pedro Sebastião visitava os doentes internados no actual Centro Médico do município
Fotografia: Adolfo Dumbo| Zaire


 
O governador provincial do Zaire, Pedro Sebastião, que visitou o Nóqui durante dois dias, manifestou a sua satisfação pelo volume de projectos de impacto social e económico que estão a ser desenvolvidos no município. É que as três comunas que compõem o município – Lufico, Mpala e sede – têm novas escolas, centros de saúde e residências para quadros. No Lufico, a administração dispõe agora de novas instalações, que serão apetrechadas em breve.  
Uma escola de três salas de aula está a assegurar o funcionamento normal do ensino primário e do primeiro ciclo na circunscrição. Foram matriculados, no presente ano lectivo, prestes a terminar, mais de dois mil alunos. Para permitir a inserção de mais alunos no sistema de ensino, está em construção, na aldeia de Nkembo, mais uma escola de três salas.
Idênticos empreendimentos estão a ser erguidos na comuna do Mpala, onde o sistema de comunicações por telefone fixo deverá, em breve, entrar em funcionamento, por iniciativa da Angola Telecom.
A localidade vai dispor, daqui a oito meses, de um centro médico moderno com capacidade para 50 camas e serviços especializados de pediatria, cirurgia e medicina geral.
O centro está a ser construído numa localização geograficamente estratégica, para permitir uma melhor assistência médica e medicamentosa às populações das comunas do Lufico e Mpala, consideravelmente distantes da sede municipal.

Novas empreitadas
 
A equipa de reportagem do Jornal de Angola constatou que na sede municipal do Nóqui decorrem várias empreitadas de reabilitação e construção de infra-estruturas. A imagem da capital municipal mudou radicalmente. A urbe conta com um novo hotel e um  edifício do posto aduaneiro e das alfândegas, ao qual está anexada uma residência para os funcionários alfandegários. O cineclube, a piscina municipal, a sede do comité municipal do MPLA e a residência do administrador municipal beneficiaram, igualmente, de obras de restauração. 
O sector da saúde no município do Nóqui possui instalações que permitem um funcionamento normal, afirma o responsável pelo sector, Nsalambi Diantambi, que explicou ao Jornal de Angola que o Hospital Municipal enfrenta algumas dificuldades de funcionamento, devido ao facto de não estar ainda qualificado como unidade orçamental.
O hospital presta serviços de atendimento nas áreas de pediatria, cirurgia, aconselhamento e testagem voluntária de VIH-Sida e medicina geral. A assistência sanitária é assegurada por cinco médicos cubanos e 29 enfermeiros nacionais.
No banco de urgência estão instaladas 14 camas que permitem o atendimento, em média, de 30 doentes diariamente.
A unidade hospitalar conta com uma ambulância que garante a evacuação dos doentes mais graves para o hospital provincial em Mbanza Congo. As doenças mais frequentes na região são a malária, diarreias agudas e amebíase.
Apesar das muitas dificuldades ainda vividas pela população do Nóqui, o governador Pedro Sebastião foi recebido de forma efusiva, com cânticos e assobios. Na comuna de Mpala as autoridades tradicionais apresentaram, em nome dos habitantes locais, ao chefe do executivo do Zaire, os principais problemas que afectam a população nos domínios da educação, saúde e vias de acesso. É nestes sectores, segundo os sobas, que o governo deve prestar maior atenção ao desenvolver as suas acções.

Governador pede calma /> 
O governador Pedro Sebastião pediu calma e assegurou que o seu executivo vai continuar a desenvolver acções concretas para minimizar as dificuldades que as populações de todo o território da província ainda vivem.
“As nossas acções são no sentido de minimizar os problemas que a população vive. As preocupações apresentadas pelas autoridades tradicionais não fogem muito àquilo que vamos assistindo um pouco por todo o território da província. Construir mais escolas, postos de saúde e melhores estradas são os nossos objectivos, em termos de governação”, sublinhou.
A jornada de campo do governador Pedro Sebastião serviu também para constatar os trabalhos de reabilitação do troço rodoviário que liga Nóqui ao município do Tomboco, num percurso de 159 quilómetros de terra batida.
“O que devemos dizer é que, pesem embora algumas dificuldades que vamos encontrando aqui e acolá, a estrada está em condições razoáveis de circulação. Estamos satisfeitos com o que vimos, pois além da estrada estão a ser construídas importantes infra-estruturas como escolas e postos médicos”, disse Pedro Sebastião.
O governador considerou positivo o grau de implementação das empreitadas que visitou. Segundo disse, “os recursos financeiros alocados para os municípios estão a permitir o sucesso das empreitadas gizadas pelo Executivo”.
O governador Pedro Sebastião reuniu com os membros da Administração Municipal do Nóqui e felicitou-os pelo trabalho que estão a desenvolver. A autoridade máxima da província tranquilizou os responsáveis municipais em relação às preocupações apresentadas e transmitiu orientações relativas às acções sociais que devem ser realizadas para o bem-estar das populações.

Jornadas de campo vão prosseguir

Pedro Sebastião disse à imprensa que as jornadas de campo vão prosseguir e o próximo destino será o município do Kuimba, onde baixou orientações concretas há cerca de três meses. “Temos todo um programa de visitas a cumprir. Estivemos no Soyo, vai seguir-se novamente o Kuimba, onde temos preocupações ligadas à estrada, e não só, vamos ver também até que ponto as orientações que baixamos aquando da nossa última visita foram cumpridas”, referiu.
 A localidade fica a 180 quilómetros da sede provincial do Zaire, Mbanza-Congo. Situada no extremo nordeste da província, Nóqui é uma região essencialmente turística. A sua posição geográfica especial na bacia do rio Zaire dá-lhe imensas potencialidades do ponto de vista turístico, que infelizmente estão longe de serem plenamente aproveitadas.
A paisagem que se pode desfrutar é inigualável, sendo de lamentar que não esteja ao alcance de qualquer um, devido às dificuldades de acesso por estrada. Situado no extremo nordeste da província do Zaire, formando a linha limítrofe com a província do Baixo Congo na RDC, o Nóqui é um município cujos habitantes se dedicam, fundamentalmente, à agricultura de subsistência, pecuária e pesca artesanal. O estado de extrema degradação da estrada que o liga a Mbanza Congo dificulta as trocas comercias com a capital da província, criando uma situação de isolamento.
O município é um potencial produtor de citrinos, mandioca, ginguba, feijão macunde, ervilha, gergelim e batata-doce.     

Tempo

Multimédia