Províncias

Polícia privilegia combate à imigração ilegal no Zaire

Víctor Mayala | Mbanza-Congo

O comandante provincial da Polícia Nacional no Zaire, subcomissário Francisco Massota, reafirmou a prontidão e firmeza da corporação no combate à imigração ilegal na província, tendo em conta a extensa fronteira partilhada com a República Democrática do Congo, calculada em 310 quilómetros.

O comandante provincial da Polícia Nacional no Zaire, subcomissário Francisco Massota, reafirmou a prontidão e firmeza da corporação no combate à imigração ilegal na província, tendo em conta a extensa fronteira partilhada com a República Democrática do Congo, calculada em 310 quilómetros. 
“A fronteira de Angola com a RDC tem 310 quilómetros. No nosso território, ela apresenta algumas vulnerabilidades. Por isso, torna-se necessário que também reflictamos sobre esta matéria, estando sempre ao lado dos nossos colegas da guarda fronteira, para que se combata, de forma eficaz, a violação da fronteira angolana, sempre com o espírito de que o combate à imigração ilegal no Zaire deve ser o pão de cada dia”, disse.
Francisco Massota falava no acto de abertura da jornada comemorativa do 34° aniversário da criação da Polícia Nacional, que se assinala dia 28 de Fevereiro, e que decorreu no passado dia 17, na cidade de Mbanza-Congo. “A Polícia Nacional, ao completar 34 anos da sua existência, deve interrogar-se onde está, para onde vai e o que vai fazer”, referiu.
O comandante alertou ainda aos presentes para a necessidade de reflectirem sobre o modo de actuação dos distintos órgãos da Polícia Nacional junto da população que, como reconheceu, “é a razão da sua existência”. “Quanto mais próximos da população estivermos, mais resultados positivos alcançaremos. Falo do policiamento de proximidade. Ter o povo como base da nossa existência deve servir de reflexão, porque só existe Polícia onde há povo. Devemos primar pelo respeito à população que nós somos chamados a manter na ordem e tranquilidade públicas”, lembrou.   

  Retomadas obras do aeroporto

As obras de reabilitação, ampliação e modernização da pista do aeroporto de Mbanza Congo, na província do Zaire, reiniciaram no dia cinco deste mês, depois de uma paralisação de sete meses, devido aos trabalhos de reajustamento das dimensões pré-estabelecidas pela Empresa Nacional de Navegação Aérea (ENANA).
De acordo com o encarregado de obras afecto a uma construtora chinesa, Lyu Zdan Feng, contactado pelo Jornal de Angola, a empreitada consiste na colocação do novo tapete asfáltico em conformidade com os padrões internacionalmente aceites e deverá ser concluída dentro de quatro meses.
Os trabalhos, que vão permitir o aumento da capacidade de recepção dos voos de pequeno e grande porte no aeródromo local, tiveram início em Novembro de 2008.
Dez milhões de dólares americanos foram disponibilizados pelo governo para a execução do projecto, enquadrado no programa nacional de modernização das infra-estruturas aeroportuárias.
A pista está a ser estendida para dois mil e 730 metros, contra os actuais mil e 800 metros de comprimento, assim como o seu alargamento para 45 metros, mais 15 metros em relação à largura actual.

Tempo

Multimédia