Províncias

Pólo universitário já no próximo ano

Fernando Neto e Kayila Silvina | Mbanza-Congo

A nova secção da Escola Superior Politécnica do Soyo, da Universidade 11 de Novembro, abre no próximo ano, anunciou, terça-feira, o governador provincial, Pedro Sebastião. O governador reafirmou o compromisso do Executivo na solução dos problemas do sector.

Participantes no encontro sobre o ensino superior em Mbanza Congo
Fotografia: Adolfo Dumbo

O governador da província do Zaire, Pedro Sebastião, anunciou na terça-feira que a abertura da outra secção da Escola Superior Politécnica do Soyo, da recém-criada Universidade 11 de Novembro, está marcada para o próximo ano económico.
Pedro Sebastião adiantou que esta intenção tem de se concretizar, visto o referido município representar uma potência da indústria petrolífera e ter uma enorme densidade populacional a nível da província.
O governador falava durante um encontro com os estudantes da Escola Superior Politécnica de Mbanza-Congo para transmitir as pretensões do executivo local em relação ao desenvolvimento do ensino universitário na região.
Aquele responsável avançou que o governo está atento aos problemas do sector e garantiu prestar apoio à Universidade 11 de Novembro na criação de condições expeditas, com vista ao arranque do pólo universitário do Soyo, no próximo ano lectivo.
A província formava os seus quadros em escolas de outras parcelas do país e no estrangeiro, o que levava a que muitas vezes não voltassem para o Zaire, afirmou o governador.
Pedro Sebastião disse que as autoridades governamentais estão a fazer diligências no sentido de construir instalações do referido pólo, aguardando-se apenas pela definição de datas e programas curriculares, por parte da reitoria da Universidade 11 de Novembro.
O governador do Zaire reconheceu que a primeira escola do ensino superior aberta em Mbanza-Congo, capital da província, carece ainda de algumas condições para o seu pleno funcionamento, nomeadamente, o aumento de salas de aula, apetrechamento da biblioteca, instalação de laboratórios, refeitório, bem como ver concluídas as obras da construção de oito residências para os docentes.
Pedro Sebastião convidou ainda os empresários locais a dinamizarem a comercialização de material escolar na região, para facilitar a sua aquisição em quantidades e com a qualidade desejáveis.
A Escola Superior Politécnica de Mbanza Congo ministra os cursos de psicologia, gestão, física e química.
A sua abertura permitiu aos funcionários do aparelho do Estado, que estavam sem estudar há mais de 20 anos, ingressarem pela primeira vez numa instituição de ensino universitário.

Vandalismo preocupa

Os actos de vandalismo a que os edifícios públicos estão a ser sujeitos também preocupa o governador, segundo manifestou num encontro que manteve com as autoridades tradicionais de Mbanza Congo.
Na reunião, o governante pediu a colaboração das autoridades tradicionais na fiscalização do património do Estado construído nas respectivas áreas de jurisdição.
“As autoridades tradicionais devem transmitir às populações a necessidade de zelarem pela limpeza e preservação do património público, evitando os actos de vandalismo, porque estes bens custaram avultados valores monetários aos cofres do Estado”, disse ­Pedro Sebastião.
Para ele, a região necessita de mais escolas para permitir a inserção de maior número de alunos no sistema normal de ensino e aprendizagem, bem como ver construído um hospital de nível provincial capaz de atender localmente as pessoas com patologias complicadas.

Melhorar as comunicações

O governador disse haver necessidade de se redobrarem esforços para ultrapassar as dificuldades que se registam nas estradas que ligam a cidade de Mbanza-Congo às sedes municipais e à capital do país. Por outro lado, congratulou-se pelas obras do aeroporto local estarem já na sua fase final, embora falte ainda a colocação dos cabeceiros e das placas. Garantiu também que o executivo local está empenhado nos trabalhos de reabilitação e construção, em todos os municípios, de infra-estruturas nos diversos sectores, como campos de futebol e seus anexos. Na sede municipal de Mbanza-Congo foi construído um hotel de 23 quartos com piscina, cine clube e uma discoteca.
Por fim, Pedro Sebastião exortou os cidadãos, independentemente da sua filiação partidária, a empenharem-se nas actividades preparatórias inerentes às comemorações do 35º aniversário da proclamação da independência nacional.

Tempo

Multimédia