Províncias

Ponte do Luculo reposta em breve

Jaquelino Figueiredo | Soyo

A ponte metálica sobre o rio Luculo, no município do Soyo, que desabou na noite da última segunda-feira, começou a ser substituída ontem, com a chegada da nova estrutura metálica ao local, garantiu o director provincial do Instituto de Estradas de Angola (INEA) no Zaire.

A ponte metálica que foi construída há duas décadas foi incapaz de suportar a força da chuva que se abateu sobre a região e acabou por desabar
Fotografia: Francisco Bernardo

Manuel Diangani assegurou que os trabalhos de colocação da nova ponte metálica vão durar, no máximo, dez dias. A nova ponte vai ter 27 metros de comprimento e uma estrutura reforçada para suportar 60 toneladas. O director provincial do INEA explicou que a nova ponte vai possuir duas estruturas metálicas corridas em cada lado, ao contrário da antiga que tinha apenas uma.
A ponte metálica sobre o rio Luculo, adstrito à localidade de Quivanga, a cerca de 70 quilómetros da cidade do Soyo, desabou quando um camião carregado de inertes efectuava a sua travessia em direcção à sede municipal.
Em função disso, a circulação rodoviária entre esta localidade e o resto do país está cortada, deixando várias viaturas, entre pesadas e ligeiras, impossibilitadas de continuarem marcha, nos dois sentidos, criando sérios transtornos e prejuízos incalculáveis. Dado a gravidade da situação, o governador provincial do Zaire, Joanes André, esteve no local, tendo solicitado a pronta intervenção do INEA, no sentido de se encontrar uma via alternativa para facilitar a circulação rodoviária naquele perímetro, até a construção da ponte definitiva.
Neste sentido e enquanto se aguarda pela reposição da ponte, a circulação de pessoas e bens está a ser feita por meio de transbordo com embarcações artesanais, estando os proprietários das mesmas a cobrar 200 kwanzas por pessoa e mais 100 pela mercadoria, independentemente do seu volume. Este cenário tem os dias contadas, disse o director do INEA, ao garantir que uma passagem alternativa vai estar pronta a partir de hoje, na parte estreita da foz do rio, para permitir a livre circulação de centenas de viaturas carregadas de mercadorias e de pessoas, impedidas de circular há dias.

Mais pontes no Zaire


Mais quatro pontes metálicas a nível da província do Zaire requerem substituição imediata, tendo em conta o seu estado avançado de degradação. Esta situação está a limitar a circulação de pessoas e bens entre os municípios e de Mbanza Congo.
O director do INEA no Zaire disse tratar-se das pontes metálicas que, pelo tempo, requerem uma substituição imediata, de acordo com levantamentos feitos por técnicos da instituição.
A administradora municipal do Soyo, Lúcia Tomás, disse que o desabamento da ponte sobre o rio Luculo está a criar constrangimentos incalculáveis à vida do município e dos seus habitantes, uma vez que se tratava da única via que ligava Mbanza Congo ao resto do país.
Lúcia Tomás avançou que o desabamento da ponte sobre o rio Luculo não vai alterar para já os preços de produtos essenciais a nível do Soyo, uma vez que, em pouco tempo, a circulação de pessoas e bens vai ser reposta.

Tempo

Multimédia