Províncias

Projecto de casas sociais em bom ritmo

Fernando Neto | Mbanza Congo

A reconstrução nacional ganha corpo no Zaire. Oitocentas casas sociais estão a ser erguidas na província, à luz do Programa Nacional de Urbanismo e Habitação. O projecto, a ser implementado em três fases, estabelece a construção de 200 casas nos municípios do Kuimba, Nzeto, Nóqui e Tomboco, cabendo a cada região uma extensão de 25 hectares.

Projecto de construção de habitações sociais insere-se no âmbito das obras estruturantes e no Zaire já beneficia os municípios
Fotografia: Garcia Mayatoko



A reconstrução nacional ganha corpo no Zaire. Oitocentas casas sociais estão a ser erguidas na província, à luz do Programa Nacional de Urbanismo e Habitação. O projecto, a ser implementado em três fases, estabelece a construção de 200 casas nos municípios do Kuimba, Nzeto, Nóqui e Tomboco, cabendo a cada região uma extensão de 25 hectares.
Falando ao Jornal de Angola, o vice-governador para o Sector de Infra-Estrutura, Kilele Ntiama, explicou que além das novas casas de média e baixa renda de tipo T2 e T3, está também programada a construção de um conjunto de equipamentos e serviços essenciais como escolas, hospitais, centros comerciais e espaços de lazer, para garantir comodidade às famílias que ali habitarem.
Segundo o vice-governador para as infra-estruturas do Zaire, o Executivo tem vindo a trabalhar na concretização de um conjunto de obras estruturantes capazes de garantir os serviços comerciais, saúde, educação e habitação para que todos tenham uma vida condigna.
Na sua visão, os projectos em curso traduzem os esforços desenvolvidos pelo Executivo na luta pela melhoria das condições de vida da população. O governante, visivelmente satisfeito, apontou que um dos objectivos do Executivo é trabalhar para que a população tenha vida aceitável, sem observar mais os índices de pobreza que se assinalam hoje.“Estamos a trabalhar para garantir às populações saúde, educação e emprego. A construção de residências para quadros vai estimular a vinda de mais profissionais para a região e contribuir para o seu desenvolvimento”, exemplificou.

Obras estruturantes

Kilele Ntiama assinalou a execução na região de um conjunto de projectos estruturantes, alguns dos quais já em construção, outros em fase de arranque, além daqueles recentemente concluídos.
Citou as obras realizadas no quadro do Programa de Infra-estruturas Integradas nos municípios de Mbanza Congo, Soyo e Nzeto, que consistem na reabilitação e construção de estradas, rede de esgotos, conduta adutora do sistema de abastecimento de água, tratamento de águas residuais, além das redes técnicas de energia eléctrica e telecomunicações.
A construção de mercados municipais em Mbanza Congo e Soyo, hospital provincial, Instituto Médio de Enfermagem e o pavilhão gimno-desportivo do Soyo constam também do leque de empreitadas de impacto social destinadas às populações. “Estão também a ser realizados na região projectos da responsabilidade da estrutura central, tais como a construção do projecto Angola LNG, as estradas entre Nzeto/Mbanza Congo, Mbanza Congo/Nóqui, incluindo a ligação à comuna do Luvo”, disse.Para o vice-governador, a população da região aguarda ansiosamente a conclusão das obras das estradas que ligam as províncias do Bengo e Zaire, bem como o troço entre Nzeto e Soyo, pela importância que têm na circulação de pessoas e bens entre a região e a capital do país, Luanda.
O responsável defendeu a necessidade de inclusão no programa de construção e resselagem de estradas nacionais, as vias secundárias e terciárias do Zaire. Kilele Ntiama é de opinião que ao serem melhoradas as vias de comunicação entre o campo e os principais centros comerciais, o sector agrícola conhecerá o impulso desejado, ao mesmo tempo que os camponeses terão vida facilitada na comercialização dos seus produtos.

Tempo

Multimédia