Províncias

Província regista grandes avanços na Educação

João Mavinga | Mbanza Congo

O sector da Educação na província do Zaire tem registado nos dois últimos anos grandes progressos, com a construção, remodelações e apetrechamento de escolas em todos os municípios, o que permitiu o ingresso de milhares de crianças no sistema normal de ensino.

Autoridades da província trabalham na estruturação de toda malha rodoviária começando pelos acessos interurbanos
Fotografia: Benjamim Cândido

Em 2014, o sector foi reforçado com mais sete novas escolas que corresponde a 157 salas de salas, construídas em quatro municípios: Mbanza Congo, Soyo, Tomboco e Quimba.
As infra-estruturas permitiram absorver seis mil alunos em diferentes níveis de ensino.
O governador Joanes André disse que um dos principais objectivos das autoridades locais assenta na redução do número de crianças e jovens que se encontram fora do sistema normal de ensino e substituir as escolas precárias por infra-estruturas definitivas.
Até 2016 ficam concluídas as infra-estruturas básicas para o sector da Educação na província, embora Joanes André reconheça que os desafios da construção na região não terminam em quatro anos.
Joanes André disse que a aposta no sector da Educação passa pela formação qualitativa do homem e só assim é que a província pode, no futuro, ter quadros de que necessita para o seu desenvolvimento.
No próximo ano lectivo entram em funcionamento mais 116 novas salas de aulas, para que se diminua a cifra de 11 mil crianças e adolescentes fora do sistema normal de ensino. Em Mbanza  Congo foi construído o palácio do governador e a torre de controlo do aeroporto. Houve também grandes  avanços no fornecimento de energia eléctrica à cidade, com entrada em funcionamento de quatro novos geradores com capacidade de 23.725 Kva.
Outras melhorias são visíveis nos sectores de Energia, Água e Saúde. Com os investimentos feitos, o município de Mbanza  Congo está melhor.  O sistema de água foi melhorado e a capacidade de abastecimento passou de 150 para 500 metros cúbicos.

Comunidades rurais

Nas aldeias longínquas são visíveis os sinais de desenvolvimento, com a construção de escolas, postos de saúde e água potável. Houve a abertura de mais 40 poços artesianos que actualmente asseguram o processo de abastecimento de água às comunidades rurais. A instalação do sistema de água em diferentes localidades foi acompanhada dos sistemas de energia eléctrica.
O grande problema é o mau estado das estradas que aguardam pela sua recuperação.
O governador Joanes André, estuda os melhores métodos para dar solução à situação vigente na região.
A província do Zaire conta com 498 quilómetros de estrada asfaltadas. Até 2016, o projecto de melhoramento das vias prevê o fim da asfaltagem da via que liga o Soyo ao Nzeto, 200 quilómetros.

Serviços essenciais


Com a aprovação pelo Executivo do Plano provincial de Desenvolvimento do Zaire, espera-se que a qualidade de vida das populações tenha grandes melhorias.
O plano contempla obras estruturantes que visam inverter o actual quadro social, caracterizado pela ausência de alguns serviços essenciais.
O programa privilegia a estruturação de toda a malha rodoviária da província, a começar pelos acessos interurbanos, municipais e comunais, de modo a permitir a circulação de  pessoas e bens, o escoamento dos produtos agrícolas para os grandes centros de consumo.
A estratégia dá corpo às políticas de combate à pobreza e cria condições para a diversificação da economia.
O Zaire conta actualmente com um parque imobiliário de 800 fogos habitacionais, construídos de raiz.
O projecto, muito aplaudido pela população local, destina-se à juventude e quadros destacados nos municípios do Nzeto, Tomboco, Nóqui e Quimba.
Nos municípios de Mbanza Congo e Soyo, o Executivo aprovou a construção da  centralidades cujas obras estão em fase de preparação. Em 2014, foram construídas 276 habitações sociais.  

Tempo

Multimédia