Províncias

Registo das pessoas vítimas de minas começou na cidade de Mbanza Congo

Kayila Silvina | Mbanza Congo

O processo de registo e actualização dos dados das pessoas deficientes vítimas de minas teve início na quarta-feira, em Mbaza Congo, capital da província do Zaire, sob os auspícios da Comissão Nacional Intersectorial de Desminagem e Assistência Humanitária (CNIDAH).

O processo de desminagem prossegue em quase todo o país para facilitar a livre circulação de pessoas e mercadorias
Fotografia: Jornal de Angola

O processo de registo e actualização dos dados das pessoas deficientes vítimas de minas teve início na quarta-feira, em Mbaza Congo, capital da província do Zaire, sob os auspícios da Comissão Nacional Intersectorial de Desminagem e Assistência Humanitária (CNIDAH).
O vice-governador do Zaire para os Serviços Técnicos e Infra-estruturas, Kilele Wactchama, assegurou que o processo tem como objectivo central a promoção da campanha de desminagem, a educação sobre os riscos de minas e a assistência médica e medicamentosa às vítimas de minas.
O governante acrescentou ainda que o projecto, de âmbito nacional, vai permitir a criação da base de dados e garantir uma informação fiável, de forma a contribuir para o desenvolvimento das pessoas vítimas de minas. A coordenadora do referido projecto, Madalena Neto, esclareceu que a CNIDAH pretende, entre outros objectivos, conhecer as dificuldades do grupo alvo, as condições de vida e quantas são a nível do país.  Participaram no encontro administradores municipais do Soyo, Nzeto, Tomboco e de Mbanza Congo, além de autoridades tradicionais e portadoras de deficiência. A CNIDAH foi criada em 2001, através do decreto presidencial 54/2001, e é composta pelos ministérios da Saúde, Educação, Território, Agricultura, Defesa, Interior, além das Forças Armadas Angolanas (FAA) e do Ministério da Reinserção Social.

Tempo

Multimédia