Províncias

Ruas de Mbanza Kongo começam a ser asfaltadas

Fernando Neto | Mbanza Kongo

O trabalho de asfaltagem das vias urbanas em curso na cidade de Mbanza Kongo, província do Zaire, está a conferir novo aspecto à antiga capital do Reino do Kongo, caracterizada por poeira, particularmente no tempo de cacimbo.

Empresa em serviço já concluiu também a asfaltagem da rua denominada Álvaro Buta situada ao redor da pista de aviação
Fotografia: Fernando Neto | Mbanza Congo-Edições Novembro

O governador provincial do Zaire, Joanes André, disse tratar-se de um desafio para se pôr cobro à poeira na capital do Zaire.
São, no total, oito quilómetros seleccionados, em quatro ruas principais da urbe, que, desde há alguns meses, recebem asfalto, como é o caso da via da Igreja Kimbanguista, concluída na última segunda-feira.
A via da Igreja Simão Kimbango tem uma extensão de dois quilómetros, onde os transeuntes e os automobilistas já podem circular de forma cómoda.
O governador Joanes André visitou a obra na terça-feira, para aferir de perto o postal actual que a via, com nove metros de largura, confere à cidade.  
A empreitada foi acautelada com valas de drenagem, para as águas pluviais e residuais, além dos espaços para os postos de iluminação pública. Neste momento os trabalhos de construção dos canais de drenagem das águas pluviais estão concluídos a 70 por cento.
A empresa em serviço já concluiu também a asfaltagem da rua denominada Álvaro Buta, situada ao redor da pista de aviação, onde também estão a ser construídas as valas de drenagem.
O objectivo central do Governo da província é proporcionar ao Zaire melhor imagem, à dimensão da realidade histórica da antiga cidade de Mbanza Kongo, com acções de impacto socioeconómico, tal como fez saber, publicamente, no comício de massas, o candidato a Presidente da República, João Lourenço, na sua recente visita a Mbanza Kongo.
A obra terminada está preparada para receber 60 toneladas de peso e pode durar mais de 100 anos, sublinhou o governador provincial do Zaire, que disse ser necessário respeitar os períodos de manutenção.
 “Viemos fiscalizar esta obra do governo, com base nas recomendações deixadas recentemente, pelo vice-presidente do partido, que esteve de visita à nossa região”, explicou Joanes André, para quem a vitória nas eleições se alcança com trabalho palpável e “não promessas”.
Para o governador, o povo do Zaire manifesta muita gratidão ao Executivo, por prestar atenção especial à província, procurando soluções dos principais problemas que colocam a região numa zona de baixa visibilidade. O político garantiu à população do Bairro Álvaro Buta que os problemas que ainda se registam no fornecimento de água e energia eléctrica têm os dias contados, com a chegada da rede de energia nacional ao município sede.“Estamos nesta altura a lançar as condutas de água a nível de toda a cidade e periferia do município de Mbanza Kongo. Em Julho termina a construção das subestações eléctricas, que vão garantir um fornecimento de energia contínua”, disse.
A administradora de Mbanza Kongo, Makiese Wete Kadi, referiu na ocasião ser uma honra presenciar o município de Mbanza Kongo a dar passos seguros, rumo ao desenvolvimento. “Pouco a pouco vamos esquecendo a lama e a poeira, com a construção de novas vias urbanas”, disse, satisfeita, a administradora de Mbanza Kongo.

Tempo

Multimédia