Províncias

Sector da Educação registou grande crescimento

Fernando Neto | Mbanza Congo

O sector da Educação na província do Zaire foi o que registou mais progressos nos últimos dois anos, com 377 novas salas de aulas em todos os municípios, considerou o governador Joanes André.

Construção de mais escolas e a admissão de novos professores e alunos são provas do grande crescimento do ensino na região
Fotografia: Rafael Tati

Ao fazer o balanço dos dois anos à frente dos destinos da província, o governador disse que um dos maiores desafios é reduzir ao máximo o número de crianças e jovens que se encontram fora do sistema normal de ensino e substituir as escolas precárias por infra-estruturas de construção definitiva.
As novas escolas, além das salas em melhores condições de acomodação, também estão a beneficiar de bibliotecas, laboratórios de informática, campos multiusos e espaços de lazer.
Neste momento, salientou Joanes André, decorrem em todos os municípios trabalhos de restauração e ampliação das antigas escolas. As mesmas estão a beneficiar ainda de muros de vedação, guarnição, serviços permanentes de limpeza e algumas possuem cantinas.
O parque escolar da província do Zaire era constituído em 2012 por 1.462 salas de aulas. No ano seguinte, aquela parcela do país  ganhou mais 219 salas e outras 158 foram erguidas nos últimos nove meses.
O governador anunciou que até 2016 ficam concluídas as infra-estruturas básicas para o sector da Educação na província, embora reconheça que os desafios da construção numa região não terminam em quatro anos. A grande aposta no sector da Educação visa uma formação qualitativa do homem, para que a província possa ter amanhã os quadros de que necessita para o seu desenvolvimento.
No próximo ano lectivo, segundo o governador provincial, entram em funcionamento mais 100 novas salas de aulas, para que se diminua a cifra de 11 mil crianças e adolescentes fora do sistema normal de ensino.
Além da Educação, o governador provincial do Zaire disse que as autoridades estão a prestar igualmente uma atenção especial aos sectores da Saúde, energia eléctrica e água.
O chefe de Departamento de Inspecção da Direcção Provincial da Educação, Ciência e Tecnologia, Miguel Ernesto, concordou que apesar dos problemas que têm a ver com o aumento do salário e de melhoria das condições de trabalho dos professores, o sector na região está a trilhar um bom caminho. Pediu para que as autoridades redobram esforços para que se acabe com a sobrelotação nas salas, onde se chegam a registar 80 alunos por turma.
Outra situação que prejudica a qualidade de ensino são as faltas constantes dos professores às aulas, por alegadamente muitos estarem ainda a concluir a sua formação. “Estes professores costumam terminar o ano lectivo cumprindo apenas metade do programa, com grande prejuízo para o rendimento escolar dos alunos”, lamentou.
A falta de bancos comerciais em alguns municípios e comunas também obrigam os professores a faltar durante uma semana às aulas, para se deslocarem às localidades onde existem estes serviços.
O programa da merenda escolar é praticamente inexistente e inadequado nalgumas localidades, visto que as empresas distribuidoras servem a cada aluno apenas um mini pacote de sumo e algumas bolachas de água e sal.

Concurso público


O Governo Provincial do Zaire lançou um concurso público para a melhoria das categorias de professores, com 1.640 vagas, e 100 vagas para o ingresso de novos docentes.
O inspector Miguel Ernesto é de opinião que as pessoas que trabalham noutros sectores, como empresas petrolíferas e bancos, não devem candidatar-se a estas vagas.
Além dos sectores básicos, como Educação, Saúde, Energia e Água, as autoridades governamentais vão incrementar outra dinâmica na manutenção das vias rodoviárias intermunicipais e arruamentos das sedes municipais.
Os bairros das sedes municipais da província vão ser requalificados, através da asfaltagem das ruas, construção de redes de esgotos e de escoamento das águas pluviais, disse o governador provincial.

Tempo

Multimédia