Províncias

Sedes municipais com uma nova imagem

Fernando Neto | Mbanza Congo

As sedes municipais de Mbanza Congo, Soyo e Nzeto, na província do Zaire, vão ter, ainda este ano, novos arruamentos, devidamente asfaltados, com redes técnicas essenciais, graças às obras realizadas no âmbito da segunda etapa da primeira fase do Programa Nacional de Infra-estruturas Integradas do Executivo.

A primeira etapa do programa mudou de forma considerável a imagem das respectivas sedes municipais, devendo, nesta segunda etapa, dar continuidade ao processo de infra-estruturação das vias urbanas e dos bairros periféricos.
Ao apresentar as obras que compreendem esta segunda etapa, o director nacional do Programa de Infra-estruturas Integradas, José Paulo Kai, garantiu existirem recursos financeiros para o início imediato da empreitada.
O responsável referiu que as o­bras contemplam a construção das redes de esgotos, valas de drenagem das águas pluviais, sistemas de água potável, iluminação pública, passeios e lancis. “Os valores permitem uma execução eficiente das obras num período inferior a 12 meses”, disse José Paulo Kai, que fez um balanço positivo da primeira etapa do projecto.
“Estamos satisfeitos, uma vez que foi possível fazer o enquadramento da construção de habitações para o realojamento das famílias afectadas pela execução das o­bras”, referiu.

Acções em curso

Para o governador do Zaire, Joanes André, o projecto de Infra-estruturas Integradas, de subordinação central, está a dar resultados concretos na melhoria da qualidade de vida das populações.
“Mbanza Congo vai ter mais uma via asfaltada com a devida iluminação pública. No Nzeto, recomendamos que seja asfaltado o troço de terra batida que atravessa a cidade e a melhoria da distribuição de água, através da nova estação de tratamento”, recomendou Joanes André.
O governador também quer ver asfaltada a via de acesso à Paróquia da Igreja Católica, no município do Soyo, e defendeu a necessidade de montagem de uma nova conduta de água potável e um reservatório de quatro mil metros cúbicos na zona. Joanes André referiu que, à luz do Programa de Investimentos Públicos, está a ser asfaltada, em Mbanza Congo, a via principal do bairro Martins Kidito e melhoradas as calçadas nas ruas transversais.
“O Zaire possui material suficiente para que estas calçadas sejam construídas. Estamos a referir-nos a obras que têm uma durabilidade superior a cem anos, sem grandes trabalhos de manutenção”, salientou.
Lucas Manuel Nsakala, 33 anos e munícipe de Mbanza Congo, mostrou o seu agrado com a iniciativa do Executivo de asfaltar mais alguns troços, uma vez que proporciona mais conforto e saúde aos habitantes.
“Estrada de terra batida é sinónimo de lama e poeira, o que prejudica a saúde. Que este esforço continue a estender-se para lá do centro urbano, devendo também alterar-se o tamanho das valas de drenagem das águas pluviais, porque não suportam o caudal de água produzido pelas chuvas”, notou o jovem, que defende mais acções de impacto social na região. 

Tempo

Multimédia