Províncias

Sida faz vítimas

Miguel Baú | Mbanza Congo

Pelo menos 47 pessoas morreram, num universo de 501 diagnosticadas com o vírus da Sida, no ano passado, na província do Zaire, revelou o supervisor local do Programa de Prevenção e Combate à doença.

Pelo menos 47 pessoas morreram, num universo de 501 diagnosticadas com o vírus da Sida, no ano passado, na província do Zaire, revelou o supervisor local do Programa de Prevenção e Combate à doença.
Manuel Kay explicou que, comparativamente a 2011, a taxa de prevalência registou menos 17 casos positivos. O município do Soyo lidera a prevalência da doença, com 239 casos, seguido por Mbanza Congo, com 196, e Cuimba, com 23. No município do Nzeto foram notificados 28 casos positivos, Tomboco contabilizou 14, enquanto o Nóqui registou um caso.
No ano passado, segundo Manuel Kay, foram testadas 40.786 pessoas, sendo as mulheres grávidas, com idades entre os 20 e 39 anos, as mais afectadas. No conjunto de seropositivos, apenas 331 cumprem o tratamento médico com anti-virais.
Apesar disso, há uma diminuição da propagação da doença, fruto de várias actividades nas comunidades, com destaque para palestras, distribuição de preservativos e panfletos.

Livro de registo


Um seminário sobre o projecto de implantação do livro de registo dos casos de VIH/Sida a nível da província do Zaire encerrou, quinta-feira, em Mbanza Congo.
Manuel Kay disse que os casos de VIH/Sida detectados serão, a partir de agora, registados em quatro livros diferentes. “No livro número um serão registados novos pacientes admitidos no programa e aqueles transferidos de uma localidade para a outra”, explicou. No segundo, constarão dados dos pacientes que estão a receber tratamento. O terceiro livro vai dispor de dados das mulheres grávidas infectadas e seleccionadas para beneficiar do programa de corte de transmissão vertical no parto, enquanto o quarto será preenchido por pessoas infectadas por VIH/Sida, incluindo doentes de tuberculose.
O seminário contou com a participação de 30 formandos, entre supervisores de controlo da Sida, técnicos de farmácia e enfermeiros.

Tempo

Multimédia