Províncias

Soyo faz a festa com projecto de obras integradas

Pereira Dinis |

Os munícipes do Soyo ficaram felizes com a assinatura do auto de consignação das infra-estruturas integradas do município. O Largo Agostinho Neto foi pequeno para albergar tantas pessoas que pretendiam assistir “ao vivo” à assinatura da consignação das infra-estruturas integradas que, vão dar, dentro de 18 meses, outro alento à vila petrolífera.

Ministra do Planeamento quando colocava a primeira pedra para construção de infra-estruturas integradas da cidade do Soyo
Fotografia: Dombele Bernardo

Os munícipes do Soyo ficaram felizes com a assinatura do auto de consignação das infra-estruturas integradas do município. O Largo Agostinho Neto foi pequeno para albergar tantas pessoas que pretendiam assistir “ao vivo” à assinatura da consignação das infra-estruturas integradas que, vão dar, dentro de 18 meses, outro alento à vila petrolífera.
A comitiva governamental, chefiada pela ministra do Planeamento, Ana Dias Lourenço, o governador provincial do Zaire, Pedro Sebastião, o secretário de Estado da Construção, José Joanes André, membros do executivo provincial, autoridades eclesiásticas e tradicionais, chegou ao local a meio da manhã.
Foram recebidos por um grupo de dança tradicional e em língua nacional kikongo os seus membros agradeceram em coro a presença dos governantes. Todos quiseram ver o momento em que era assinado o documento em que vai permitir fazer obras na cidade que lhe vão mudar a face. O Soyo, dentro de algum tempo, fica com estruturas essenciais ao seu desenvolvimento e para melhorar a qualidade de vida dos seus habitantes.
Antes da assinatura da consignação da empreitada, Ana Dias Lourenço teve um encontro com o governador provincial e membros da sociedade civil.
Depois da apresentação do projecto, por uma representante da empresa construtora chinesa Sinohyro, a ministra do Planeamento, Ana Dias Lourenço, foi a primeira a usar da palavra.
Emocionada com o projecto, Ana Dias Lorenço começou por dizer que “devemos sentir um grande orgulho por fazermos parte dos projectos de reconstrução que vão trazer melhor qualidade de vida ao Soyo e aos seus habitantes”.
E disse mais: “para suportar os grandes investimentos económicos, há necessidade de desenvolver as infra-estruturas básicas e sobretudo as acessibilidades”.
À população presente no Largo Agostinho Neto, a ministra do Planeamento disse, ainda, que “estas são as bases para melhorar a cidade do Soyo, para todos terem um bom ambiente habitacional, para criar condições de desenvolvimento da indústria, do sector produtivo, para a rede viária, principalmente a do Zaire que liga à outras províncias”.
A multidão presente no Largo Agostinho Neto manifestou ruidosamente a sua alegria quando a ministra Ana Dias Lourenço disse que “tive um encontro com os membros da sociedade civil, onde apresentámos a linha de força dos projectos que estão e vão ser desenvolvidos no Soyo”.
Chamado a falar em nome dos habitantes da província do Zaire, particularmente do município do Soyo, o governador Pedro Sebastião disse que a assinatura do auto de consignação das infra-estruturas integradas vem dar resposta a muitas dificuldades do povo.
A ministra e o governador realçaram que o Executivo está a fazer a sua parte para o melhor do país e os munícipes têm responsabilidades acrescidas em preservar todos os bens públicos que o Governo põe à sua disposição.

O projecto de integração

Eduardo Jorge, coordenador do projecto de infra-estruturas integradas do município do Soyo, referiu que as obras incluem a rede de esgotos, de drenagem, iluminação pública, recolha de lixo, construção e reparação de estradas secundárias e terciárias e outras estruturas sociais.

Padre elogia Executivo

O padre Eduardo Matumona, que esteve presente no acto, referiu que a assinatura do auto de consignação de infra-estruturas integradas é um acto importante para a população do Soyo.
Em toda a parte do mundo, disse o padre Eduardo Matumona, é com o desenvolvimento social e económico que a população muda, para melhor, a sua posição.
“Devemos agradecer essa iniciativa e todos nós, munícipes, devemos valorizar projectos como este e conservar as obras concluídas para que outras gerações encontrem, também, esses bens que, afinal, são de todos nós.

Ensino Superior

O governador Pedro Sebastião garantiu, durante o seu discurso, que no próximo ano lectivo, o município do Soyo vai arrancar com ensino superior. Há conversações com a reitoria e as condições estão criadas “para que possamos ter aqui escolas de ensino superior”.
Pedro Sebastião recordou que “o Ensino Superior já chegou ao município de Mbanza Congo e no próximo ano vai chegar aqui ao Soyo”, frisou.
Os jovens presentes aplaudiram o anúncio de abertura de escola de Ensino Superior no município. O Jornal de Angola ouviu alguns que foram unânimes em afirmar que o município está a seguir rumo ao desenvolvimento em todos os sectores.

Reparação de estradas

A ministra do Planeamento visitou as obras na auto-estrada do Soyo ao Nzeto. As obras, como constatou o Jornal de Angola, estão a decorrer normalmente. Na via é visível a presença de engenheiros, operários e outros técnicos a trabalharem arduamente.
Mesmo com o pessoal a trabalhar, a circulação no troço Soyo-Nzeto faz-se comodamente, embora uma parte ainda não esteja asfaltada.
Os automobilistas ouvidos pela reportagem do Jornal de Angola, que geralmente circulam na via, mostraram-se satisfeitos com a reabilitação da via. No entanto, aconselham “os colegas da estrada” a serem mais prudentes durante a condução.
“Ter uma boa estrada, não significa circular em alta velocidade e não respeitar o Código de Estrada. Temos uma boa via, o que implica uma circulação fluída, mas sem atropelos às regras de trânsito”, disse um taxista
Se a circulação é feita com fluidez no troço Soyo-Nzeto, o mesmo já não se pode dizer na via Nzeto-Caxito. A estrada está degradada, por isso há pouca circulação de viaturas naquelas paragens, o que tem provocado atrasos no desenvolvimento da vila piscatória do Ambriz.

Tempo

Multimédia