Províncias

Técnicos da OMS operam cataratas

Setenta cirurgias de cataratas e outros males ligados à visão foram realizadas nos últimos quatro dias no centro de saúde da Igreja Evangélica Baptista em Angola (IEBA), em Mbanza Congo.

Parceria garante assistência médica
Fotografia: DR

Setenta cirurgias de cataratas e outros males ligados à visão foram realizadas nos últimos quatro dias no centro de saúde da Igreja Evangélica Baptista em Angola (IEBA), em Mbanza Congo.
As cirurgias foram feitas por uma equipa de especialistas ligados à Organização Mundial da Saúde (OMS), de acordo com um médico especialista em oftalmologia do programa “Visão 2020”, da OMS. José Afonso de Moraes disse à Angop, em Mbanza Congo, que este número pode ascender a 100 doentes, até amanhã, data limite proposta para a realização das cirurgias na cidade.
As operações cirúrgicas, explicou José Moraes, estão a ser realizadas no quadro de uma parceria existente entre a OMS e o Executivo angolano, através do Ministério da Saúde, que visa o combate à cegueira. José Moraes explicou que a sua equipa está ligada à clínica “Boa Vista”, em Benguela, e precisou que estão em Mbanza Congo no âmbito de uma outra parceria com o centro médico da Igreja Evangélica Baptista em Angola (IEBA). Com o apoio do Governo Provincial do Zaire, referiu, esse projecto vai permitir a deslocação periódica de especialistas a Mbanza Congo, para a realização de cirurgias em pessoas com problemas de visão. “Podemos programar mais visitas, dependendo do número de doentes, mas em média realizamos duas deslocações por ano às regiões onde somos solicitados”, disse José Moraes.
O técnico da OMS informou que foram treinados dois enfermeiros do Zaire que passam a seleccionar os doentes a serem submetidos a futuras cirurgias e atender casos pontuais menos graves em matéria de cegueira.
A equipa médica, composta por três oftalmologistas, referiu José Moraes, desloca-se periodicamente a outras regiões de Angola, com o mesmo objectivo
O centro de saúde da IEBA, na cidade de Mbanza Congo, conta com várias secções e as novas instalações foram inauguradas em 2009, depois de beneficiar de obras de reabilitação, financiadas pelo Governo Provincial do Zaire.

Tempo

Multimédia