Províncias

Transportes públicos com mais autocarros

Victor Mayala e Fernando Neto | Mbanza Kongo

Mbanza Kongo conta desde ontem com mais 30 autocarros destinados ao transporte público, que vão reforçar a frota que faz ligações interurbanas, intermunicipais e interprovinciais. 

Entrada em circulação dos autocarros vem cobrir o défice existente nos transportes públicos
Fotografia: Garcia Mayatoko | Edições Novembro | Mbanza Kongo

Os autocarros, cujas capacidades de lotação variam entre 17 e 33 lugares sentados, foram entregues a seis empresas privadas, para a sua gestão, pelo ministro dos Transportes, Augusto Tomás.
Segundo o ministro, os autocarros foram adquiridos pelo Estado, sendo que as empresas recebem os meios a título de crédito, passando depois a ressarcir os valores ao banco.
Augusto Tomás disse que a entrada em circulação dos autocarros vem cobrir o défice existente no domínio dos transportes públicos na região. O governante chamou atenção às empresas gestoras para a necessidade de respeitarem os períodos de manutenção, acautelando deste modo a sua durabilidade.
Os autocarros, com uma bagageira com capacidade para 300 quilogramas, estão equipados com semi-eixos reforçados, motores e filtros continentais que permitem a sua circulação em zonas cujas estradas ainda estão em péssimo estado de conservação.
Os meios, indicou, devem estar ao serviço de toda a população do Zaire, estando por isso preparados para levar pequenas cargas a partir das zonas rurais até às cidades e evitar os constrangimentos verificadao na circulação de pessoas e bens.
Disse que com o fluxo de escoamento dos produtos agrícolas, para os grandes centros de consumo, aumenta o rendimento das famílias, melhorando assim as suas condições de vida.
O governador provincial do Zaire, Joanes André, agradeceu a entrega dos veículos, uma vez que vão facilitar a vida das pessoas, quer as que vivem no meio rural, quer dos alunos, cujas escolas situam-se distante das  zonas de residência.

Viaturas roubadas

O Comando Provincial do Zaire da Polícia Nacional apresentou em Mbanza Congo, à imprensa, onze viaturas ligeiras todo-terreno, supostamente furtadas na capital do país.  
A Polícia apresentou também 14 indivíduos que praticavam crimes diversos na região, seis dos quais acusados de envolvimento no furto das referidas viaturas, apreendidas nos postos fronteiriços de Buela e Minga, município do Cuimba, e Luvo (Mbanza Congo).
Os veículos tinham como destino final a República Democrática do Congo (RDC), onde supostamente seriam comercializados, segundo o director do gabinete de comunicação institucional e imprensa da Delegação do Ministério do Interior, subinspector-prisional Carlos Fidel Simbi Paulo. A corporação apresentou, igualmente, 151 quilogramas de estupefacientes (liamba) e 428 gramas de cocaína, apreendidas no decorrer da operação policial. A detenção dos supostos marginais e a apreensão das viaturas resultaram de uma micro-operação policial denominada “Tolerância Zero”, realizada nos últimos sete dias.

Auto-estrada Nzeto/Soyo

A circulação na auto-estrada entre os municípios do Nzeto e Soyo, província do Zaire, vai ser efectivada, a partir de Setembro do corrente ano, anunciou, no Soyo, o governador provincial.
Joanes André assegurou, no termo de um encontro com os moradores dos bairros Kikudo e Nona, periferia do Soyo, que estão reunidas as condições para a circulação de pessoas e mercadorias deste ponto da província do Zaire para o resto do país, através da auto-estrada, com a conclusão dos trabalhos de asfaltagem das duas faixas de rodagem, das quatro previstas no projecto.
“Podemos dizer que o nosso sofrimento chegou ao fim, porque a partir de Setembro já poderemos viajar para Tomboco, Nzeto, Mbanza Kongo e Luanda, numa estrada devidamente asfaltada e com todos os serviços técnicos”, acrescentou. 
O governador do Zaire informou que, nesta primeira fase, a estrada tem 12 metros de largura, com duas faixas de rodagem de 3,75 metros em cada sentido e um metro de berma. A execução das obras, acrescentou, está subdividida em troços e está a cargo de empresas nacionais e estrangeiras. Os trabalhos foram retomados em Janeiro de 2016, cerca de seis anos depois da paralisação.

Tempo

Multimédia