Províncias

Turbinas instaladas em breve

João Mavinga | Soyo

Até 2017, o problema do fornecimento de energia eléctrica na província do Zaire fica definitivamente resolvido, com a instalação de quatro turbinas a gás e dois potentes reactores do Ciclo Combinado do Soyo, anunciou no sábado, em Mbanza Congo, o governador provincial.

Problema da energia eléctrica fica resolvido com a instalação de reactores no Soyo
Fotografia: Eduardo Pedro

Joanes André, que falava num acto público, tranquilizou os habitantes e garantiu que a situação do fornecimento de energia eléctrica a província fica resolvido definitivamente dentro de dois anos, esclarecendo que quatro turbinas a gás e dois reactores do Ciclo Combinado para a produção de energia já se encontram no Zaire.
“Estamos convictos que assim que arrancar o Ciclo Combinado, o fornecimento de energia eléctrica será feito de forma ininterrupta, excepto quando houver acções de manutenção, mas de curta duração. Nesta altura decorrem trabalhos técnicos para a instalação de linhas de energia”, disse.
Sobre a execução dos projectos enquadrados na linha de crédito da China, o governador destacou as obras de construção do traçado da auto-estrada do troço de 150 quilómetros entre os municípios do Nzeto e Soyo, e disse que a aparente morosidade que se assiste na conclusão da empreitada deve-se às acções ligadas à construção de passagens hidráulicas e outras redes técnicas destinadas a canalização das águas pluviais.
Os projectos de construção dos Pólos Industriais do Soyo e Mbanza Congo, aprovados pelo Conselho de Ministros, constam das acções contempladas na  linha de crédito da China.
O plano de acção do governo do Zaire, segundo Joanes André, contempla também a construção de um novo aeroporto na cidade de Mbanza Congo, face a situações de insegurança que o actual apresenta, bem como um estudo de mecanismos para o alargamento da pista aeroportuária do Soyo.
O plano inclui ainda, através do Ministério dos Transportes, as empreitadas de modernização do novo porto do Soyo. Joanes Andre disse que para o próximo ano económico, prevê-se a construção de uma cerâmica no Soyo, que vai dar emprego a um número significativo de jovens, e de um terminal marítimo para a pesca no município do Soyo.
O projecto estabelece, igualmente, a criação de um cais nos municípios do Nzeto e Nóqui para garantir a ligação marítima entre Zaire, Cabinda e Luanda, incluindo outras zonas litorais.
Nesta altura, decorrem as obras de construção da estrada Mbanza Congo/  Kuimba/Mdimba. O programa privilegia igualmente a asfaltagem da estrada Soyo/ Nsumba/Pedra de Feitiço/Kuimba /Serra de Canda e Mbanza Congo/ Nóqui.

Tempo

Multimédia