Províncias

Zaire ligado à rede de energia eléctrica

Fernando Neto | Mbanza Kongo

A província do Zaire já está ligada à rede Nacional Eléctrica do Sistema Norte, com a entrada em funcionamento, no passado dia 11, de subestações na comuna de Kinzau e nas sedes municipais do Tomboco, Cuimba e Nóqui, segundo o governador Pedro Makita Júlia

Fotografia: Angop

“Subdividida, administrativamente, em seis municípios, nomeadamente Nzeto, Tomboco, Cuimba, Nóqui, Soyo e Mbanza Kongo, o Zaire já não tem motivos de reclamar da falta de energia eléctrica", sublinhou o governador, acrescentando que o ciclo combinado do Soyo, equipado com quatro turbinas a gás, integra o processo de produção do Sistema Norte, à par da Central Hidroeléctrica das Mabubas, no Bengo, Cambambe, no Cuanza-Norte, além de Lauka e Capanda.
O município de Nóqui, ainda de acordo com o governador do Zaire, deixa, deste modo, de beneficiar de energia eléctrica da barragem hidroeléctrica do Inga, na República Democrática do Congo (RDC), um processo que data do período colonial, com um peso financeiro elevado, para os cofres do Estado.
O governador provincial do Zaire destacou os ganhos da independência e da paz, para a região, nos sectores da educação, saúde e melhorias significativas no fornecimento de energia eléctrica e no abastecimento de água potável à população.
“Estamos em condições de convidar os empresários nacionais e estrangeiros para investirem no Zaire, que possui terras aráveis, recursos hídricos, florestais e minerais por explorar, em prol do desenvolvimento económico da região”, disse o governante, à margem de uma palestra sobre a importância histórica da independência nacional.
A província do Zaire passa a contar também com um complexo pesqueiro, no município do Soyo, e duas escolas primárias, uma no Nóqui e outra no município de Tomboco.

Tempo

Multimédia