Províncias

Zaire: Supostos enfermeiros foram detidos pelo SIC

Jaquelino Figueiredo | Mbanza Kongo

Dois supostos enfermeiros que prestavam serviços num Posto de Saúde, nos arredores da cidade do Soyo, província do Zaire, foram detidos pelas forças da Polícia Nacional e do Serviço de Investigação Criminal (SIC), por presumível negligência e homicídio involuntário.

Fotografia: DR

De acordo com uma nota da Polícia Nacional, parentes próximos da vítima acusam António Nzinga, 36 anos, e Jacinta Ngola, 30 anos, que se encontravam em serviço no passado dia seis do corrente mês, de atenderam mal a vítima, que se queixava de fortes dores de cabeça e febre alta.

A nota policial refere que, após a consulta, os supostos enfermeiros diagnosticaram a existência de elevados níveis de sangue no corpo, pelo que decidiram extrair dois litros, tendo provocado morte imediata.

Segundo a nota, a detenção dos supostos enfermeiros visa evitar justiça por mãos próprias, enquanto as autoridades trabalham para apurar as verdadeiras causas da morte e aferir a autenticidade dos certificados de habilitações profissionais dos acusados, pois os familiares estão revoltados.

Cidadão viola irmã

Um cidadão nacional, 27 anos, cujo nome não foi revelado, foi detido no passado dia 6, pela Polícia Nacional, no bairro 11 de Novembro, cidade de Mbanza Kongo, por supostamente ter violado sexualmente a sua irmã, de 46 anos, que se encontrava em estado de embriaguez.

De acordo com a nota policial, a vítima, cujo nome não foi identificado, disse às autoridades que tudo aconteceu por volta das 16 horas do dia seis do corrente mês, após ambos terem saído da lavra. Já no bairro, conta, o acusado convidou a ofendida (irmã mais velha) para sua residência, para consumirem bebidas alcoólicas. “Após ter embriagado a irmã, o acusado aproveitou a ocasião para violar a ofendida (irmã), que depois formulou queixa à Polícia local”, refere a nota.

Segundo informações do SIC, como refere a nota, pela premeditação do crime, o acusado foi detido e presente ao Ministério Público.

Tempo

Multimédia