Províncias

Zaire estimula gosto pelas ciências exactas

Kayila Silvina | Mbanza Congo

Um projecto educativo denominado “Uma viagem ao mundo da Ciência, Tecnologia e Inovação” foi lançado terça-feira nas escolas do I ciclo do ensino secundário em Mbanza Congo, pelo Ministério da Ciência e Tecnologia (MINCT).

Alunos em Mbanza Congo são incentivados a gostar de disciplinas de ciências exactas
Fotografia: Garcia Mayatoco | Mbanza Congo

O referido projecto consiste na realização de acções de sensibilização e orientação dos alunos para que possam ganhar interesse pelos cursos técnicos e pelas ciências exactas, que, na óptica dos promotores, são menos preferidos pelos jovens um pouco por todo o país.
O coordenador do projecto, Francisco Azevedo Coutinho, disse que o mesmo é desenvolvido em parceria com o Ministério da Educação e pretende estimular o conhecimento científico dos alunos no domínio das ciências exactas, tais como Matemática, Química e Física.
O projecto visa abranger mais de 100 alunos de diferentes unidades escolares da região.
Francisco Coutinho disse que no município de Mbanza Congo foram seleccionadas quatro escolas do I ciclo do ensino secundário, estando duas situadas na sede municipal, designadamente as escolas Sagrado Coração de Jesus e Dr. António Agostinho Neto. As outras duas estão localizadas nas comunas de Kalambata e Nkiende. 
O responsável informou que o referido projecto já foi implementado em seis províncias, nomeadamente Benguela, Cabinda, Luanda, Lunda Sul, Lunda Norte e Malanje. O administrador municipal adjunto de Mbanza Congo, Henrique Luzolo, presente na cerimónia de lançamento do projecto, exortou os estudantes da região a cultivarem o gosto pelas ciências exactas, por constituírem a base de todo o saber científico.
Henrique Luzolo aconselhou ainda os alunos das escolas abrangidas para que no momento da escolha da especialidade tenham primeiro em conta as disciplinas que dominam, para uma melhor orientação profissional e académica. “Cada aluno deve escolher o curso consoante a disciplina ou ciência exacta que domina, para facilitar a sua aprendizagem”, alertou o administrador municipal adjunto de Mbanza Congo.
Para o responsável da repartição municipal da Educação de Mbanza Congo, João da Costa, os alunos não devem ter medo das ciências exactas, pois, segundo ele, tudo depende da vontade de aprender que cada estudante sentir desde o ensino primário. A cerimónia de lançamento do projecto em Mbanza Congo contou com a participação de técnicos dos Ministérios da Ciência e Tecnologia e da Educação, estudantes, professores e membros da administração municipal.

Tempo

Multimédia